sexta-feira, 14 de junho de 2019

Sérgio Rogério declara apoio ao Partido Novo

Sérgio Rogério Presidente do Comitê Sul
Bahia Bolsonaro Presidente (CSBBP) e do
 Movimento Ilhéus tem Jeito (MITJ)
declara apoio ao Novo
Liderança maior do movimento pró-Bolsonaro em Ilhéus, presidente do Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e do Movimento Ilhéus tem Jeito, Sérgio Rogério declarou seu apoio à instituição do diretório do Partido Novo em Ilhéus - Bahia. Sempre bem informado e por dentro dos bastidores políticos da Direita na Bahia e no Brasil, Sérgio Rogério afirma que a decisão de apoiar o Novo é baseada na atuação dos parlamentares federais, que tem demonstrado afinidade com as principais medidas e pautas do governo Bolsonaro, em especial o Pacote de Medidas anti-crime do Ministro Sérgio Moro, a defesa da Operação Lava-jato e as reformas da Previdência e Tributária, do Ministro Paulo Guedes.

"O Novo é, ao lado do PSL, o partido que mais vota de maneira favorável às propostas do governo federal na Câmara. Além disso, necessário se faz elencarmos opções para mudança do nosso cenário político local. Não podemos continuar permitindo que a política em Ilhéus seja essa eterna dança das cadeiras, onde o destino da cidade e de seus munícipes é decidido por um punhado de politiqueiros, que visam apenas benefícios pecuniários e pessoais." explica Sérgio Rogério.

Sérgio Rogério destacou-se, pelo seu trabalho, liderança e ética, no cenário ilheense como um nome forte para mudança da realidade política da cidade. Procurado por vários partidos políticos, inclusive os de oposição ao governo Bolsonaro, ele já recebeu diversas propostas para concorrer ao executivo municipal em 2020. Sempre ético e transparente, Sérgio Rogério deixou claro que a política para ele não é um trampolim de manipulação dos recursos públicos, baseado em acordos duvidosos, um fato que, lamentavelmente, parece ser recorrente na política do nosso município.

Bolsonarianos e Partido Novo caminhando
juntos por uma Ilhéus melhor
"Começamos com a mudança federal, lutando contra um sistema corrupto. Sem recursos, elegemos um presidente. Agora é a vez do cenário municipal. Faremos novamente essa diferença. Não tenho padrinhos e nenhum tipo de associação espúria com nenhum político do cenário, local, estadual ou federal. Chegou a hora do povo entender que não é o dinheiro que ganha uma eleição e sim a vontade de fazer uma cidade melhor para todos. Por conta de políticos que se dizem preparados, experientes, cheios "apoios" e dinheiro a cidade vem padecemo a décadas." - declara Sérgio Rogério

Várias informações sobre conchavos políticos e alianças duvidosas vem permeando o cenário ilheense. Dentre essas notícias, a negociação de uma suposta união entre o PSL e o atual governo municipal, não encontra apoio do Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e do Movimento Ilhéus tem Jeito. Tal decisão baseia-se, entre outros motivos,  no fato do executivo municipal, bem como membros do legislativo, terem declarado apoio e feito campanha para Fernando Haddad - candidato à presidência pelo PT -, assim como para governador Rui Costa, deputados e senadores de esquerda. Esse tipo de atitude demonstra o total descompromisso com a plataforma de mudanças propostas pelo governo federal, eleito democraticamente pela maioria da população brasileira.

Sérgio Rogério juntamente com Gabriel
Venturolli - Presidente Estadual do Novo
e membros do Partido Novo de Ilhéus
"Para todos aqueles se arguem de dizer que são os mais qualificados e preparados para exercer o comando executivo municipal, eu afirmo que um político não governa sozinho, cabe a ele cercar-se de pessoas técnicas, honestas e competentes em cada área de governabilidade. Assim sendo, posso não ser a pessoa mais preparada, mas Deus não escolhe os preparados, ele prepara os escolhidos. Se o povo me apoiar, não tem político rico que vai tirar nossa esperança de termos uma Ilhéus realmente representada por um homem honesto, honrado e do povo" - conclui Sérgio Rogério.

LEIA MAIS

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Alabama aprova castração química para pedófilos

A governadora do Alabama (EUA), Kay Ivey, sancionou nesta terça-feira (11) a lei que prevê a castração química para pedófilos condenados, que almejam pleitear o benefício da liberdade condicional. O texto exige o procedimento para todos que cometeram crimes sexuais contra crianças menores de 13 anos, que estejam em condições de cumprir o restante da pena fora da prisão. A lei entra em vigor a partir de setembro.
Kay Ivey - Governadora do Alabama

"Este projeto é um passo para proteger as crianças no Alabama", afirmou a Governadora Ivey, que é membro do Partido Republicano.

A castração química, que é realizada em países como Alemanha, Itália, Chile, Colômbia, El Salvador e República Dominicana, consiste na aplicação de injeções a cada seis meses que diminuem a produção de testosterona e inibem o apetite sexual. O criminoso que solicitar  liberdade condicional deverá se submeter ao procedimento no mínimo um mês antes de deixar a prisão. Os custos que envolvem o processo devem ser pagos pelo condenado, caso ela tenha condições financeiras.

Uma dezena de estados nos EUA contempla a castração química para pedófilos e outros condenados por crimes sexuais.

A Califórnia foi o primeiro estado a aprovar em 1996 a castração química para pedófilos condenados por crimes sexuais contra crianças de 13 anos ou menores, como estupro ou sodomia.

Os estados da Flórida, Geórgia, Iowa, Louisiana, Montana, Oregon, Texas e Wisconsin também têm medidas similares.

No Brasil, um projeto de lei semelhante a este aprovado no Alabama, foi apresentado pelo presidente Jair Messias Bolsonaro, quando era Deputado Federal.

A aprovação dessa lei fortalece o intenso combate contra a pedofilia e o abuso sexual de  crianças e adolescentes. Vale ressaltar que a pedofilia vem ganhando espaço em debates psiquiátricos e jurídicos, através do crescimento de um ativismo favorável a esta prática hedionda, em todo o mundo. 

LEIA MAIS

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Após dois meses de paralisação, professores universitários da Bahia decidem continuar greve

A Greve das Universidades na Bahia continua. São dois meses de paralisação e mesmo com os salários congelados pelo governador Rui Costa, que não podemos deixar de mencionar que é do PT, os professores decidiram em assembleias, pela continuação da greve. 


Veja o resultado das votações realizadas até agora:


UESC - 89 a favor da greve - 52 contra a greve


UESB - 94 a favor da greve - 11 contra a greve


UEFS - 136 a favor da greve - 77 contra a greve

A greve dos professores universitários é maior enfrentada pelo governador petista desde 2015, quando tomou posse no cargo. Nos últimos dias, Rui Costa acusou a paralisação de ser “partidária” e comandada pelo PSOL. 

Enquanto a esquerda troca farpas e acusações, quem fica prejudicado é o aluno, que nessa altura do campeonato, já corre grande risco de ter o semestre anulado. #prontofalei
LEIA MAIS

Brasil Paralelo vence processo contra Rede Globo

E a temporada de revés da Rede Globo continua em alta.


Depois da vertiginosa queda de audiência, agora o acerto de contas foi com a justiça.

A Empresa Brasil Paralelo, produtora do documentário 1964: Entre Armas e Livros, venceu um ação contra a gigante da mídia brasileira.

A origem do processo foi uma fakenews vinculada no portal da Globo, por ocasião do lançamento do documentário. De acordo com o texto publicado naquela época, o documentário defendia a ditadura militar, fato este totalmente inverosímel.

“Antes mesmo do documentário ir ao ar, fomos surpreendidos com essa manchete que, além de nos desagradar muito, também gerava prejuízos de todos os tipos, uma vez que muitas pessoas ainda confiam no processo tradicional de imprensa, acreditando o que dizem as manchetes" - explica um dos produtores do documentário.

“Um dos grandes prejuízos que nos ocorreu em função dessa matéria foi desestimular as pessoas a assistirem o documentário, um trabalho sério, fruto de muito esforço, totalmente baseado em pesquisa historiográfica e imparcial”, disse outro produtor.

Além disso, a matéria da Globo também dizia que o Brasil Paralelo não era um empresa ou nem mesmo uma ong, dado totalmente mentiroso.

A justiça deu à Rede Globo um prazo de 10 (dez) dias para publicação do direito de resposta do Brasil Paralelo.

O documentário já conta com 6 milhões de visualizações no YouTube.

Os produtores do Brasil Paralelo fizeram uma live no Youtube para divulgar o resultado do processo.

Assistam...


LEIA MAIS

domingo, 2 de junho de 2019

Péssima qualidade da educação é um dos fatores de aumento do desemprego no Brasil

De maio pra cá, muito tem se falado sobre educação no Brasil.  A esquerda inteira se arvorou de defensora das Universidades e conclamou manifestações, que supostamente, seriam em prol desse setor social. Mas o que poucos falam e muitos omitem de propósito, são as estatísticas sobre a qualidade da educação brasileira. Durante quase duas décadas o PT teve como um dos lema de governo a máxima: "Pátria Educadora". Uma piada se levarmos em conta a colocação do nosso país nos rankings mundiais de Educação: 63º Lugar!!! Ficamos atrás até do México, Argentina e pasmem, Colômbia.

Esse ranking é elaborado com base na aplicação de uma prova que faz parte do Pisa, Programa Internacional de Avaliação de Alunos. Quando o assunto é avaliação educacional, o Pisa é uma referência mundial. Na última edição, a pesquisa analisou 70 países, incluindo o Brasil. Destes, 35 eram membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), entidade que funciona como um fórum para a discussão de questões relacionadas ao desenvolvimento e à melhoria de políticas sociais ou econômicas. Os demais integrantes do estudo foram países conhecidos como economias parceiras, isto é, nações voluntárias do programa — como o Brasil.


23.141 estudantes brasileiros de todas as unidades da Federação participaram da avaliação. Divulgados no terceiro trimestre de 2016, os resultados não são muito animadores para o Brasil: 59º lugar em leitura, 63º em ciências e 65º em matemática.

Esses números foram formados a partir da avaliação em instituições de ensino públicas e particulares. Comparando com a edição de 2012, o desempenho dos estudantes brasileiros em leitura e ciências ficou praticamente estagnado. Já na área de matemática, os resultados do exame revelaram que o país diminuiu sua nota.


Muitos dos que estão nas ruas defendem a ideia de que mais investimento no setor educacional é a solução para o problema. Ledo engano. A ideia de que mais dinheiro vai sanar o atraso intelectual dos nossos estudantes é rapidamente contestada se levarmos em conta, por exemplo, os investimentos financeiros feitos pela nossa vizinha Colômbia, que ocupa o 57º lugar no Ranking Mundial. Lá, o gasto por aluno gira em torno de US$ 2.459 por estudante, enquanto o Brasil aplica US$ 3.824 por aluno. 

Necessário se faz um ampla análise sobre como nossos recursos financeiros foram empregados na área de educação, ao longo das décadas pós regime militar.  Precisamos entender porquê 43,74% dos estudantes brasileiros estão abaixo do nível 1 de proficiência em matemática, estipulado pelo PISA. Trocando em miúdos, quase metade dos nossos estudantes não conseguem nem mesmo atingir o primeiro dos 6 níveis de qualificação básica em matemática estipulados pela OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Ficamos atrás de países como o Peru e, só ganhamos no quesito Matemática, para a República Dominicana.

Quando o assunto é leitura e interpretação, a porca torce o rabo novamente. Depois de analisar uma série de dados, o resultado final da avaliação dos estudantes brasileiros no tocante à competência linguística é: "No estudo dos pontos fortes e fracos dos estudantes brasileiros em leitura, há indícios de que eles tiveram dificuldade em integrar ideias e fragmentos de informação para fazer comparações ou estabelecer relações de causa e efeito, processar informações implícitas e fazer suposições a partir dos fatos apresentados em textos narrativos ou expositivos." (página 270 do Relatório final - Brasil no PISA 2015: Análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiro)

O Brasil no PISA 2015: Análises e reflexões sobre o desempenho dos estudantes brasileiro (se encontra listado ao final deste post) nos traz uma sequência de dados estarrecedores. A Matemática e a Leitura são apenas dois dos péssimos resultados dos estudantes brasileiros. Na página 211 encontramos descrita a seguinte constatação: "Estudantes de 15 anos do PISA 2015 provenientes de escolas municipais estão, em média, com quase dois anos de defasagem escolar se comparados com o mesmo público de jovens de outras redes com praticamente a mesma idade."  Outro dado chocante é o indicativo do percentual de repetência dos estudantes brasileiros: mais de 40% já repetiram pelo menos, um ano do ensino fundamental! Outro fato alarmante encontrado no relatório é: o estudante brasileiro é o mais indisciplinado dentre todos os países participantes do PISA. Em mais de 40% das salas de aula, os professores tem que esperar muito tempo até que os alunos fiquem quietos.

Não precisamos ser gênios para percebermos que ao longo dos anos, nossa educação, especialmente a pública, vem em acelerada queda qualitativa. Uma das consequências mais aterrorizante porém, não é apenas essa vertiginosa recessão intelectual, é a implicabilidade da péssima qualidade da educação na hora de se buscar uma colocação profissional no mercado de trabalho.

Fechamos 2018 com mais de 13 milhões de desempregados, uma herança maldita deixada pelo PT. Tentar sanar essa sangria não é apenas uma problema da área econômica. O setor de educação tem um papel decisivo nessa empreitada.


Nos últimos dois anos, 60% das 11,8 mil vagas ofertadas nos mutirões de emprego que reuniram grandes empresas não foram preenchidas devido à falta de qualificação dos candidatos. 

Não, você não eu errado! 

No início deste ano, por exemplo, a empresa de telemarketing Atento ofereceu 1,2 mil vagas no Mutirão do Emprego, promovido pelo Sindicato dos Comerciários de São Paulo. Com 600 interessados, só conseguiu contratar sete operadores – menos de 1% do que precisava.

A mesma coisa aconteceu com o Grupo Pão de Açúcar. O gigante da área alimentícia ofereceu 2 mil postos, aprovou 700 candidatos, mas, até agora, apenas 32 estão trabalhando, segundo os organizadores. No último mutirão, também foram abertas cerca de 2 mil vagas para caixa de supermercado, com salário perto de R$ 1.100, e metade ficou em aberto por falta de qualificação.

Falta de qualificação. Guarde bem essas palavras!

Ah, mas os contratantes deveriam estar exigindo muito dos candidatos. 

Negativo.

Dentre os problemas mais frequentes listados pelos empregadores estão:
  • Dificuldade de se expressar
  • Dificuldade de fazer contas
  • Falta de conhecimentos básicos em informática
  • Falta de conhecimentos básicos em inglês
  • Poucos anos de estudo
É necessário observamos com atenção essa listagem. Todos os aspectos aqui relacionados tem total correlação com os péssimos indicativos de resultados obtidos pelo PISA 2015. Algum desses itens está fora do escopo de ensinamentos do nosso sistema educacional? Algum desses itens é de alta complexidade? A resposta é não. Não se pode nem mesmo questionar a exigência do Inglês e da Informática. O idioma estrangeiro é obrigatório em todo o currículo escolar, do Fundamental II ao fim do Ensino Médio, em escolas públicas e particulares. Já a Informática  conta com programas e investimentos específicos para criação, até mesmo de infocentros em escolas públicas. Se os recursos para essa finalidade não estão chegando onde deveriam,  esbarramos aqui em outro ponto: a real empregabilidade dos recursos financeiros.


O mais irônico em toda essa situação é que os próprios membros do governo esquerdista já sabiam que a resposta para o problema da qualidade da Educação brasileira não era a destinação demais recursos financeiros. Em 2015, o então ministro da Educação, Mendonça Filho, chocado com o resultado do PISA, deu a seguinte declaração: “Esse resultado é uma tragédia e confirma exatamente o diagnóstico que fizemos, desde o início da nossa gestão, de que, apesar de termos multiplicado por três o orçamento do Ministério da Educação, em termos reais, o desempenho ficou estagnado ou até retrocedeu, como é o caso específico de matemática.”


A grande questão aqui acaba sendo: O que foi feito com o dinheiro que destinamos à Educação ao longo dessas décadas pós redemocratização?

Essa é a verdadeira pergunta que não quer calar...


Links

Link para matéria sobre falta de qualificação profissional

Link para Análise e relatório dos resultados do Brasil no Pisa 2015

Link para Matéria sobre colocação da Colômbia à frente do Brasil no Ranking Mundial de Educação

Link para matéria sobre declaração do ex-ministro da Educação Mendonça Filho
LEIA MAIS

quarta-feira, 29 de maio de 2019

Homossexuais de Direita na mira da esquerda intolerante

Da esquerda para direita: Rommel Werneck,
Roberto Palopoli,  Deputado Douglas Garcia,
Gustavo Possani, Leandro Possani e amigo
Há quem acredite que vivemos em tempos de muita tolerância e amor, um mundo lindo, livre e sem preconceitos. Essa é um das ideias pregadas pela esquerda. Mas nesse mundo onírico e ideal,  essa tolerância toda só se aplica aos "cumpanheiros". Quando do outro lado da mesa, da sala ou mesmo da telinha, há um conservador, um liberal, um homem, um branco, um judeu, um cristão, um republicano, aí a coisa degringola de vez. O modo "destilar veneno" é ativado em potência máxima, não havendo limite para o ódio existente. A "metralhadora" esquerdista vem ampliando seus limites e agora nem mesmo homossexuais e negros escapam da fúria "dos canhotos". Não existe respeito, afinal quando não somos esquerdistas entramos automaticamente para o rol de  criaturas abomináveis que, por consequência, não merecem nenhum tipo de consideração. Algo sem precedentes no tocante à falta de humanidade. O mais chocante em tudo isso é o fato de que tal fenômeno passe despercebido pela imensa maioria, pois estes indivíduos consideram normal este duplo padrão moral da esquerda. É o ápice da hipocrisia e da  seletividade. 

Está achando exagero? 

Então vejamos.

No último domingo, dia 26 de maio, milhões de pessoas foram às ruas em mais de 300 cidades do Brasil, em apoio às medidas do governo Bolsonaro, à operação lava-jato, pela aprovação da MP 870, reforma da previdência, reforma tributária e administrativa.

Entre esses milhões de brasileiros estavam o adestrador Leandro Possani; seu marido, o vendedor Gustavo Paulo Possani; o professor Rommel Werneck e o webdesigner Roberto Palopoli, todos homossexuais, amigos que foram até a Avenida Paulista, no centro de São Paulo, expressar seu apoio às pautas da manifestação. 

Em determinado momento, o grupo encontrou um profissional da mídia, que fazia a cobertura do evento. Animados, os rapazes conversaram com o jornalista, expondo seus pensamentos, suas bandeiras e explicando os motivos pelos quais apoiavam as pautas da manifestação. Tudo normal, não fosse o choque ao ler a reportagem escrita pelo tal jornalista.

"Ontem na manifestação fui entrevistado junto com alguns amigos por um colunista do UOL. Demos um depoimento e o que ele publicou foi totalmente o contrário, tendencioso e desonesto. Fomos ingênuos." - desabafou Leandro Possani em seu perfil de uma rede social.


Mas a manipulação perpetrada contra os manisfestantes homossexuais foi além disso. Além de distorcer as declarações do grupo, o texto trazia expressões de cunho sexual como "Blow job", usada como uma espécie de subtítulo que dava entrada à parte da reportagem que se relacionava ao professor Rommel Werneck.

"Colocaram a palavra "Blow job" que é a palavra pra sexo oral em inglês!!" - declara Leandro Possani.



Além do que foi escrito sobre o grupo de amigos, a reportagem também escarnece de outros tantos manifestantes, das mais variadas faixas etárias, profissões e orientações sexuais. O resultado disso é um texto, que destila viés político próprio, escrito em defesa de uma ideologia explícita nas entrelinhas, nas colocações pontuais e nas citações pinçadas em um contexto amplo. Um verdadeiro desfile de intolerância contra manifestantes da Direita.

O que fica claro nesse caso – e há diversos mais em toda nossa mídia – é que a esquerda politicamente correta monopolizou tanto o ódio como a hipocrisia. Se você é de esquerda, se você banca o 'progressista', o 'moderninho', então pode odiar à vontade, rotular o quanto quiser, apelar para generalizações, distorções, manipulação e trocadilhos baratos. Basta seu alvo ser alguém do outro lado da mesa, da sala, da telinha...  Aí está tudo bem. Não pode ser um "cumpanherio"!

Isso é o real significado da palavra intolerância. É ódio profundo, mascarado por uma áurea de "defesa da democracia" e sancionado por uma ideologia, mergulhada na hipocrisia. 

Isso não é jornalismo! 

O que é?

 Eu já nem posso classificar...

Links

Link para Matéria do UOL sobre Manifestações do dia 26/05

Link para Matéria sobre intolerância contra homossexuais de Direita

LEIA MAIS

PSL Mulher sob novo comando

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) é a nova presidente do PSL Mulher,  ala feminina do partido. Depois de uma disputa acirrada contra a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), Soraya saiu vencedora nesse embate.
Senadora Soraya Thronicke

Depois de tomar posse nesta terça-feira, 28 de maio, a Senadora Soraya e as integrantes do PSL Mulher posaram para fotos com Jair Bolsonaro. Na quinta-feira, terão um café da manhã com o presidente.

Empenhada em sua nova função, a Senadora Soraya declarou que seu é inspirar as mulheres a virem para a política. "A ideia é a renovação, então queremos trazer essas mulheres. Nossa programação vai ser muito intensa, tanto de renovação, como também de autoajuda, vamos fazer um trabalho assim, de autoajuda."

Intrigados, alguns jornalistas questionaram anova dirigente sobre o que seria essa inclusão da autoajuda nas diretrizes politicas do partido.

"Vamos trabalhar o psicológico. Aulas de oratória, também teremos. Não vamos fazer um trabalho totalmente técnico de política. Faremos uma coisa holística, olhando a mulher como um todo." - esclareceu a senadora Soraya.

O incentivo para que mulheres participem da gerencia de representatividade política não se restringi apenas o PSL.

"Vamos fazer, nas capitais, workshops que vão incluir tudo isso. Será para mulheres de qualquer partido, será apartidário. Divulgaremos para todas as mulheres. Quem quiser se filiar se filia, não tem problema. Pra gente, tanto faz. O que queremos é levar isso à frente de verdade." - explica Soraya Thronicke.

O objetivo dessa nova abordagem é que 40% das candidaturas do PSL sejam de mulheres, já na eleição do ano que vem, ultrapassando assim a cota de 30% estabelecida pela lei.

Perguntada sobre a pauta do PSL Mulher, Soraya Thronicke respondeu:

"É uma pauta conservadora, uma pauta família, bem dentro dos valores do governo Bolsonaro."

Em outras palavras:

"Nossa pauta é feminina, não feminista, é uma pauta de mulheres. Os nosso valores são mais conservadores do que aqueles das pautas feministas. A nossa diferença é que a gente vem com esse olhar mais equilibrado."

Sobre temas polêmicos que envolvem políticas para mulheres a Senadora declarou: "Somos contra o aborto, somos pró-vida, contra a liberação das drogas, a favor da manutenção da família."

LEIA MAIS

segunda-feira, 27 de maio de 2019

29 de maio - Dia Mundial da Esclerose Múltipla

Amanhã, dia 29 de maio, é o Dia Mundial da Esclerose Múltipla. Data importante para promover a conscientização sobre a enfermidade, bem como as condições dos pacientes. A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença neurodegenerativa autoimune, caracterizada pela destruição da mielina – camada protetora que recobre os neurônios – pelo sistema imunológico. A EM pode ser também debilitante, isso porque entre os seus sintomas, está a espasticidade – uma condição que compromete a mobilidade do paciente e sua qualidade de vida.

No Brasil, estima-se que entre 5 a 20 pessoas em cada 100 mil habitantes convivam com a Esclerose Múltipla, doença que acomete principalmente jovens em fase economicamente ativa, de 20 a 50 anos, com predominância no sexo feminino, sendo uma proporção de três mulheres para cada homem.


Em fase inicial, seus sinais podem ser pequenas turvações na visão e mínimas alterações no controle da urina, sendo quase imperceptíveis, principalmente por ocorrerem e desaparecerem em pouco tempo. Porém, com o avanço da doença e dependendo dos locais afetados, a qualidade de vida dos pacientes é comprometida, apresentando sintomas como: fraqueza, fadiga, visão turva, dores crônicas e formigamentos. Além desses, 84% dos pacientes brasileiros não conseguem se locomover, apresentando quadros graves de espasmos musculares, condição conhecida como espasticidade.

A espasticidade é semelhante à cãibra, com a diferença de ser constante. A contração em um dos membros, geralmente inferiores, é permanente e causa dor ao indivíduo, além de enrijecimento muscular, levando à grandes dificuldades de locomoção. Muitos acabam se tornando dependentes, por não conseguirem mais executar atividades rotineiras simples.

O especialista no tratamento e acompanhamento da doença é o neurologista. O paciente precisa fazer visitas regulares ao médico, além de sessões de fisioterapia. A equipe multidisciplinar é de extrema importância, principalmente nos casos de espasticidade. Com ela e o tratamento adequado é possível proporcionar uma melhor qualidade de vida ao paciente.

Em janeiro deste ano, o governo federal anunciou a criação da Coordenação Nacional dos Raros, que acompanhará a situação de pacientes com diagnóstico de doenças raras, entre elas a esclerose múltipla. A divisão ficou a cargo da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).
Primeira-dama Michelle Bolsonaro

Na ocasião, primeira-dama Michelle Bolsonaro, ressaltou a importância da nova coordenação. “A inclusão e qualidade de vida das pessoas com síndromes e com doenças raras, além das pessoas com surdez e outras deficiências, com quem me identifico tanto, são a minha bandeira, esta é a minha luta. Reafirmo aqui que o Poder Público pode e deve agir ainda mais por estas pessoas no estudo e na disseminação do conhecimento sobre essas doenças e síndromes”, disse.


LINKS


Link para site da Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM) 

Link para Portal Minha Vida 

Link para pesquisa internacional sobre Esclerose Múltipla


LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails