sexta-feira, 3 de abril de 2020

Idosos denunciam falta de vacina no Posto de Saúde do Pontal

Ilhéus registrou um número record de vacinados contra Gripe Influenza.  Ao todo, 12 mil pessoas foram imunizadas contra a gripe ao longo de dois dias de vacinação, iniciada no dia 23 de março. A primeira fase da campanha teve como público-alvo pessoas com 60 anos ou mais, profissionais da saúde e povos indígenas. A data prevista para o inicio da segunda etapa seria no dia 27 de março. 
Idosos denunciam falta de vacina no
posto de saúde do Pontal, em Ilhéus
Mas apesar da população ter compreendido a importância da vacinação, a vacina está em falta no posto de saúde do Pontal. A denúncia foi feita por idosos que tem se deslocado ao local e não tem encontrado a vacina. Segundo eles, em um primeiro momento foi dito que a vacina chegaria na quinta-feira (02 de abril), o que não ocorreu. A explicação que receberam foi que a demora se deve à fabricação da vacina.

"Não é possível que nós continuemos a nos descolar até o posto, nos expondo ao vírus, e não ter a vacina." diz um idoso que pediu para não ser identificado

"Pedi a uma moça que trabalha lá um telefone que pudesse ligar e me informar se a vacina chegou, para não ir lá a toa. Ela disse que não tinha telefone e que não podia dar nem mesmo o número pessoal dela", revela outra idosa que também não quis se identificar.

Essa situação se tornou insustentável e totalmente irresponsável, uma vez que idosos são o principal grupo de risco atingido pelo Coronavírus. Cabe à Prefeitura Municipal de Ilhéus regularizar essa situação e, no mínimo, colocar um telefone à disposição de informações, pois assim evitaria o deslocamento desnecessário de pessoas, especialmente das que fazem parte do grupo de risco.

A vacina fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é destinada a segmentos da população identificados como grupos de risco, que podem apresentar maior possibilidade de complicações em decorrência da contaminação por coronavírus. Estes grupos são crianças entre 6 meses até menores de 5 anos de idade; mulheres gestantes e puérperas; idosos com mais de 60 anos; além de pessoas com doenças crônicas, como hipertensão, diabetes e doenças respiratórias. A vacina é distribuída pelo Ministério da Saúde aos municípios e está sendo distribuída em lotes. Além do vírus Influenza A (H1N1), a vacina visa a proteger a população contra outro vírus tipo A (H3N2) e contra um dos vírus tipo B. A​ vacina também ​​diminui o risco de outras doenças que podem aparecer junto com a gripe, como a pneumonia.

Mais uma vez salientamos a importância e responsabilidade da Prefeitura Municipal de Ilhéus em solucionar logo essa questão. Afinal, proteger os idosos e demais pessoas que compõem o grupo de risco é prioridade no combate prevenção ao coronavírus.
LEIA MAIS

quarta-feira, 25 de março de 2020

Ilhéus decreta estado de calamidade pública. Você sabe em que isso implica?

Os ilheenses foram surpreendidos, nesta quarta-feira, pelo decreto municipal assinado pelo prefeito. Segundo esse ato do executivo, o Decreto 21/20 diz que a situação de calamidade pública municipal se deve em razão da pandemia de COVID-19. 

Antes demais nada, devemos ressaltar que apenas um caso de Covid-19 foi efetivamente confirmado, de acordo com as próprias autoridades municipais de saúde.

Agora vamos ao que interessa.

O pulo do gato aqui está nas reais implicações do que vem a ser ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA.

O estado de calamidade pública é decretado por governantes em situações reconhecidamente anormais, decorrentes de desastres (naturais ou provocados) e que causam danos graves à comunidade, inclusive ameaçando a vida dessa população. É preciso haver pelo menos dois entre três tipos de danos para se caracterizar a calamidade: danos humanos, materiais ou ambientais.

Agora, quem exatamente pode decretar esse estado? No Brasil, essa é uma prerrogativa reservada para as esferas estadual e municipal. Ou seja, governadores e prefeitos podem decretar uma calamidade pública. 

Mas e o presidente, por que não tem esse instrumento à disposição? É porque na esfera federal, podem ser decretados apenas os chamados estados de exceção. São dois tipos: o estado de defesa e o estado de sítio – que é o mais grave.

Além do estado de calamidade pública, é comum ouvirmos que algum município brasileiro decretou estado de emergência. De fato, esse é outro estado de exceção que pode ser decretado por governadores e prefeitos – e o nome usado na lei é situação de emergência. Mas qual seria a diferença entre emergência e calamidade? Segundo a lei, trata-se de uma questão de intensidade: a calamidade pública é decretada apenas nos casos mais graves, quando a capacidade do poder público agir fica seriamente comprometida. Ou seja, o estado ou município não conseguem resolver o problema por conta própria e precisam da ajuda do governo federal. É o estado que requer mais atenção e cuidado.

Já a situação de emergência refere-se a danos menores, que comprometem parcialmente a capacidade de resposta do poder público, ou seja, menos graves que aqueles de uma calamidade pública. Nessa situação, eles também dependem de ajuda do Governo Federal, mas em um grau menor. 

Situações de emergência e estados de calamidade decretados por autoridades municipais ou estaduais precisam ser reconhecidos pela União, a fim de que recursos federais sejam alocados para o ente afetado. 

Observem bem o final dessa frase: a fim de que recursos federais sejam alocados para o ente afetado. 

Uma vez reconhecida a emergência ou calamidade, o governo também define o montante de recursos que destinará ao ente afetado. O Ministério da Integração Nacional mensura com precisão o tamanho de uma calamidade. É preciso haver prejuízos econômicos públicos equivalentes a pelo menos 8,33% da receita corrente líquida anual do ente afetado, ou então prejuízos privados de mais de 24,93% dessa receita.

O que pode ser feito em um estado de calamidade pública?

Situações extremas requerem medidas extremas. É por isso que, em caso de estado de calamidade pública, o governante tem a sua disposição poderes que em situações normais seriam considerados abusivos. Além disso, o governante passa a compartilhar responsabilidades com outros entes, principalmente com o Governo Federal.

A Constituição permite que em casos de calamidade pública o governante tome os chamados empréstimos compulsórios. Acredito que poucos sabem do que se trata essa modalidade de empréstimo. Então vamos voltar no tempo. O exemplo mais emblemático de Empréstimo Compulsório foi criado pelo Governo Collor quando confiscou a poupança de todos os brasileiros. Tenho certeza de que muitos lembram desse pesadelo. Necessário fazermos apenas uma singela explicação: No Caso Collor o tributo foi criado de forma ilegítima, pois não havia calamidade, guerra ou outro motivo respaldado na lei. Por isso, muitas pessoas entraram com ações judiciais contra a medida. O mecanismo que institui o empréstimo compulsório prevê o ressarcimento dos valores tomados, mas quem teve a poupança confiscada sabe que ao final de tudo, não recebeu de volta o total das finanças que lhes eram devidas. Processo judiciais gerados por este acontecimento funesto se arrastam em nosso sistema jurídico até hoje. A situação de calamidade pública cria um terreno totalmente respaldado pela Constituição e Leis Complementares. Até então, o confisco das poupanças foi o único caso registrado de empréstimo compulsório desde a promulgação da Constituição de 1988, o que não impede que prefeitos e governadores se valham desse dispositivo no momento atual, usando o Corona Vírus como desculpa.

Uma prerrogativa tão perigosa não poderia ser adotada de forma banal e irresponsável como vários municípios brasileiros vem fazendo. Muitos prefeitos sabem o que a lei lhes confere de poder, mas se aproveitam do desconhecimento do povo sobre a legislação, para perpetrar atos que vão de encontro até aos interesse dos próprios munícipes.

Mas a coisa não para nos empréstimos compulsórios.

Além deles, o governante pode passar a parcelar as dívidas, atrasar a execução de gastos obrigatórios e antecipar o recebimento de receitas. O estado ou município afetado também pode ficar dispensado de realizar licitação em obras e serviços enquanto durar a calamidade. 

Trocando em miúdos: decretar estado de calamidade pública é abri as torneiras e cofres da federação, sem que governantes sigam os parâmetros normais da lei.

E tem mais: O Governo Federal normalmente ajuda em situações de emergência com itens de ajuda humanitária, envio da Defesa Civil ou até das Forças Armadas, além dos recursos financeiros.

A única coisa que o cidadão pode fazer nesse estado de calamidade é sacar parte do FGTS.

Precisamos retirar os antolhos e enxergar o que existe por trás das medidas tomadas especialmente por prefeitos e governadores, em meio a essa "Crise" do Corona Vírus. 

Não existe inocente. Quem detém a caneta sabe até onde a canetada alcança.

Será que Ilhéus precisava mesmo decretar Calamidade Pública, com apenas um caso oficialmente aferido?

Agora que já sabem em que implica esse tipo de decreto, façam suas próprias análises...

Não sejam mais reféns da falta de informação!

Resumo











Links

Link sobre noticia do Decreto de Calamidade Pública

Link para decreto municipal 21/20 da Prefeitura de Ilhéus
LEIA MAIS

segunda-feira, 23 de março de 2020

Brasileiro propõe ação judicial para obrigar China a arcar com prejuízos causados por coronavírus

Um contabilista de Rondônia ajuizou na última quinta-feira, dia 19 de março, uma ação popular na Justiça Federal do Distrito Federal na qual exige que a União obrigue a China a arcar com prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus. 

A solicitação é feita com base no artigo 1º do Projeto da Comissão de Direitos Internacionais das Nações Unidas Sobre Proteção Diplomática. O dispositivo responsabiliza países por danos provocados por atos ilícitos.

“O governo brasileiro, utilizando dos seus recursos internos, vem sistematicamente promovendo os atos necessários a evitar que o povo brasileiro sofra maiores danos em decorrência da contaminação por coronavírus”, diz a peça. 

“Entretanto”, prossegue, “quem deve arcar com todos os prejuízos causados ao povo brasileiro é a República Popular da China, que, através de seu presidente [Xi Jinping], como é público e notório, negligenciou e agiu com omissão" quando foi informada da existência de um vírus de alto poder de contágio. 

Por isso, o autor pleiteia que a China arque com um “importe inicial” de R$ 5,09 bilhões, com sua equivalência em dólares, conforme a cotação do dia. 

Caso haja decisão favorável e o governo chinês se recuse a cumprir a determinação, o contabilista exige R$ 100 milhões de multa diária, também com sua equivalência em dólares. 

Como o autor não pode processar a China diretamente, a ação foi proposta contra a União Federal e contra o advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça.

O autor pede, ainda, que seja expedida carta rogatória para intimação do governo chinês ou mandado de intimação a seu representante legal no Brasil. 

Fac-simile - Petição da Ação Popular
Um estudo feito por cientistas dos Estados Unidos, Inglaterra e Austrália, concluiu que o novo coronavírus foi originado naturalmente, através de seleção natural, e não em laboratório. 
A pesquisa foi publicada na terça-feira, dia 17 de março, na revista Nature Medicine, uma das mais conceituadas do mundo. Porém, ainda que os pesquisadores tenham chegado à conclusão sobre a origem do vírus, isso não exime a China da responsabilidade sobre o controle da infecção, o que segundo notícias vinculadas na própria mídia chinesa, não foi feito com eficácia e competência em tempo hábil.

Dep. Eduardo Bolsonaro
Na quarta-feira, dia 18 de março, acusações contra o governo chinês provocaram uma pequena crise entre o país asiático e o Brasil. Na ocasião, o deputado Eduardo Bolsonaro culpou a China pela pandemia da Covid-19. 

“Quem assistiu Chernobyl vai entender o q ocorreu. Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa +1 vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas q salvaria inúmeras vidas. A culpa é da china e a liberdade seria a solução”, afirmou Eduardo. 

A declaração gerou uma resposta imediata por parte de Yan Wanming, do embaixador da China no Brasil. “A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e a @camaradeputados. @BolsonaroSP @ernestofaraujo @RodrigoMaia", escreveu, marcando os perfis de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, e Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores.

As acusações contra o país asiático começaram depois que um documento divulgado pelo Partido Comunista da China indicou que Xi Jinping escondeu por duas semanas as infecções pelo novo coronavírus. 

O presidente chinês falou publicamente sobre o assunto pela primeira vez em um discurso à nação proferido em 20 de janeiro, sete dias antes do então prefeito de Wuhan renunciar após denúncias de que teria escondido informações sobre o surto. 

Tudo isso só serve para corroborar sobre a responsabilidade da China na propagação do vírus em todo o mundo.

Agradecemos ao Domingos, propositor da ação popular, pela coragem de agir em prol dos cidadãos brasileiros. 

O tempo de aceitarmos tudo calados, chegou ao fim!

LEIA MAIS

domingo, 22 de março de 2020

Justiça determina suspensão de projeto cultural que daria 10 milhões para performances artísticas em janelas em SP

Bruno Covas, prefeito de São Paulo

Em decisão proferida na última sexta-feira (20), o juiz José Gomes Jardim Neto, da 10ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), determinou a suspensão do edital de R$ 10 milhões do projeto Janelas de São Paulo, editado pela prefeitura da capital paulista. O pedido foi feito pelo advogado Daniel Victor Ferreira Gallo.

O Janelas de São Paulo faz parte do programa Cultura Presente que prevê, ao todo, um gasto de R$ 103 milhões como forma de ajudar o setor artístico no momento de crise causado pelo surto de Covid-19.

Agora vamos lá. 

Por que o setor cultural tem que receber tantos recursos num momento em que a saúde deve ser a prioridade?

Entreter pessoas é mais importante do que salvar vidas?

Graças a uma ação popular, o edital desse projeto foi suspenso e assim o pagamento desses 10 milhões de reais foi evitado. 

Em sua argumentação na ação popular, o advogado Daniel Galo afirmou que a medida era desnecessária diante do quadro de pandemia de coronavírus. Em seu pedido, ele questionou se os valores não poderiam ser destinados para criação de leitos de UTI.

Na decisão, o juiz José Neto afirmou que a medida deveria ser ponderada, já que outras classes também demandariam auxílio governamental. O magistrado ainda questionou se o projeto não traria uma aglomeração desnecessária próximo da casa dos artistas participantes.

"Ainda é de se perguntar se, a depender da popularidade do artista, isso não venha causar aglomeração de pessoas em torno de sua janela, o que viria a chocar-se com o próprio intuito do Poder Público."  questionou o magistrado.

Ao decidir pela suspensão, Neto pediu para que a Prefeitura de São Paulo se manifeste com a comprovação de que o gasto não trará qualquer dano ao orçamento público e que não prejudicará gastos essenciais para o combate ao surto de coronavírus. Algo totalmente sensato, tendo em vista que o momento é de empenho total ao combate da epidemia.

A Itália realizou um projeto cultural semelhante, mas com um enorme diferencial: nenhum artista recebeu remuneração por suas performances. Tudo foi feito de forma cidadã, observando a responsabilidade com o erário público, especialmente em um momento tão delicado. 

Esperamos que as autoridades brasileiras tenham mais juízo e passem a mensurar melhor o emprego de recursos públicos. Mas, caso não tenham, o povo tá de olho!
LEIA MAIS

sábado, 21 de março de 2020

Governador da Bahia convocará PMs aposentados para frente de Combate ao Corona Virus

E aqui vai mais um daqueles exemplos em que a esquerda se arroga da prerrogativa de "tudo pode". Na Bahia, o decreto assinado pelo governador Rui Costa (PT), publicado no Diário Oficial deste sábado (21), regulamenta a convocação de policiais militares da reserva remunerada.
Governador Rui Costa (PT) quer PMs aposentados
na linha de frente ao combate do Corona Vírus

Trocando em miúdos: policiais militares aposentados, em idades avançadas, serão convocados para a linha de frente de Combate ao Corona Vírus. Interessante que o estado tenha tomado essa atitude, uma vez que o próprio governador baiano foi um ferrenho crítico do presidente Bolsonaro, quando o mesmo declarou que convocaria militares da reserva para zerar a fila do INSS.

Os PMs convocados por Rui Costa não poderão se furtar à convocação, afinal, de acordo com a legislação militar, uma vez militar, militar para sempre.

O mais chocante é a total falta de consideração do risco que tais cidadãos estarão exposto, uma vez que a maioria acaba por se encontrar em condições consideradas "de risco" para a infecção pelo vírus: idade avançada, problemas de saúde...

O militar convocado permanece na condição de inativo e terá direito à indenização a ser paga mensalmente durante o período da convocação, para Coordenação Administrativa e demais funções.

O decreto, que entra em vigor com a publicação, determina ainda que o Comandante-Geral das respectivas Corporações Militares Estaduais estabelecerá as funções a serem exercidas pelos convocados, as unidades em que serão alocados e as regras quanto ao uso do uniforme e de equipamentos, sendo vedado o exercício de cargo ou função de comando, direção e chefia.

A regulamentação respalda legalmente a convocação destes servidores para atuar nas ações executadas pelo Governo baiano visando a prevenção e o combate à disseminação do novo coronavírus (COVID-19) na Bahia.

Durante reunião por videoconferência com prefeitos do interior na última quarta-feira (18), o governador Rui Costa anunciou que convocaria policiais aposentados para trabalhar nos bloqueios das estradas em Salvador, Feira de Santana, Porto Seguro e Prado, cidades que até então já tinham registro de pessoas infectadas pela COVID-19, para evitar a propagação da doença.

Depois dessa, não será novidade alguma, se os Bombeiros Militares da reserva também sejam convocados para linha de frente do combate ao Corona Vírus. 

Isso tudo só serve para nos mostrar: na hora que o bicho pega, quem dá a vida por nós são os militares.



LEIA MAIS

quinta-feira, 12 de março de 2020

Carreata Unidos Pelo Brasil vai agitar Ilhéus neste domingo



Na luta contra a corrupção e a impunidade, pessoas em diferentes cantos do Brasil continuam se manifestando, não só nas redes sociais, como também nas ruas. Neste Domingo, dia 15 de Março, Ilhéus será palco de um evento ímpar, em prol da família, dos valores cristãos e em defesa do nosso Brasil; a Carreata Unidos pelo Brasil. 


Reunindo Ilhéus, Itabuna, Una, Jussari, Buerarema, Ubaitaba, Aurelino Leal, Uruçuca e outros municípios importantes do sul do estado, patriotas de toda a Bahia percorrerão juntos as ruas de Ilhéus. O evento tem concentração marcada para 14:30 horas, na Praça Castro Alves (Pracinha da Irene), na Avenida Soares Lopes. Essa mobilização democrática contará com o apoio logístico da Polícia Militar e SUTRANS. 

A Carreata Unidos Pelo Brasil é um evento do Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente, organização responsável por ações cívicas e sociais, além do apoiamento ao partido Aliança pelo Brasil na região sul do estado. “Nosso presidente não está sozinho nessa empreitada por um Brasil melhor. Somos um exército de voluntários patriotas, que vestimos a camisa em defesa da democracia e da nossa nação. Precisamos garantir a implementação de medidas saneadoras na nossa economia, bem como resgatar os valores nacionais, ultimamente vilipendiados”, explica Sérgio Rogério, presidente do Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e do Movimento Ilhéus tem Jeito.
Sérgio Rogério, Barbara Bastos e a deputada
Carla Zambelli

“Não se pode mais assistir à impunidade pairar sobre a nossa pátria, estimulando a corrupção que destrói nossas instituições. Chegamos a um momento em que não podemos mais aceitar a velha política que se traduz em verdadeira barganha espúria. Vamos às ruas para mostrar que o cidadão brasileiro não aceitará mais tais atitudes por parte de políticos.” - finaliza Sérgio Rogério. 

A Carreata Unidos Pelo Brasil é um evento oficial do calendário nacional de mobilização e conta com o apoio do movimento NAS RUAS, criado pela atual deputada federal Carla Zambelli. 


Sérgio Rogério e Tomé Abduch (Nas Ruas) convidam os baianos para manifestação do dia 15 de março

Junte-se a nós! 

Brasil acima de tudo! 

Deus acima de todos! 



*ASCOM Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente
LEIA MAIS

quarta-feira, 11 de março de 2020

Diretor da UnB é ameaçado após fechar praça usada por traficantes


A demolição da conhecida “Pracinha da FAU”, localizada na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB - Universidade Federal de Brasília vem provocando sérias consequências, especialmente ao diretor que tomou essa decisão. Pessoas ligadas ao diretor da FAU, Marcos Tadheu Magalhães, denunciaram que, desde a ação para acabar com a praça, no fim de fevereiro, ele vem sofrendo ameaças de morte.

Em redes sociais, internautas dizem que querem vê-lo morto, além de chamá-lo que fascista e autoritário.

A confusão em torno do espaço de convivência começou com a reclamação de professores acerca da segurança deles em sala de aula. As informações são de que o local, construído há cerca de 20 anos, havia virado um ponto de tráfico de drogas e abrigo para moradores de rua.

Ao longo dos anos a UnB acumula casos de violência que tem como fator motivador o tráfico de drogas e o uso de substâncias ilícitas nas dependências do campus.

Dois professores relataram, em cartas enviadas ao diretor da FAU, terem presenciado a entrada de usuários de drogas no meio de suas aulas no período noturno. Além disso, computadores, instrumentos de medição e outros equipamentos foram roubados da FAU após as grades serem quebradas. O prejuízo é estimado em R$ 15 mil.

Além da demolição da praça, a porta que dá acesso ao Instituto Central de Ciência (ICC) foi fechada, pois 2 mil pessoas passavam por ali diariamente. Entre elas, estudantes e pessoas de fora também, inclusive indivíduos usando tornozeleiras eletrônicas.

O que acontece na UnB é o retrato mais fiel das universidades públicas do Brasil: áreas de livre comércio e uso se drogas. Amparados por leis que restringem o acesso de agentes da segurança pública, traficantes estabeleceram filiais do tráfico em instituições de ensino superior. Além disso, o ativismo esquerdista que propaga ideias como a legalização da maconha, foi fundamental para a instalação e manutenção desse grotesco cenário.

É necessário que a legislação que permite esse tipo de coisa, seja rapidamente revista e alterada, tornando as instituições de ensino superior espaços públicos protegidos e seguros para todos.
LEIA MAIS

quarta-feira, 4 de março de 2020

O Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e o Movimento Ilhéus tem jeito no lançamento do Agenda + Brasil

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, foi lançado, nesta quarta-feira (4), o portal AGENDA + BRASIL, uma plataforma para acompanhamento em detalhes da evolução da carteira de projetos do Governo Federal. O site é um canal institucional direto com o cidadão e presta transparência ativa dos projetos, programas e políticas públicas prioritários do governo. 
Sérgio Rogério e Barbara Bastos representaram
16 cidades do sul da Bahia no lançamento
do projeto Agenda + Brasil

O Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e o Movimento Ilhéus tem jeito com Sérgio Rogério e seus amigos foram representados nessa cerimônia oficial de lançamento desse projeto do governo federal, pelos seus dirigentes Sérgio Rogério e Barbara Bastos.

"Representar 16 cidades do sul da Bahia em um evento tão importante é muito gratificante. O Agenda + Brasil é um projeto de relevância nacional, um instrumento de cidadania e responsabilidade governamental" - salienta Sérgio Rogério

Coordenado pela Casa Civil da Presidência da República, o Agenda + Brasil é baseada em 12 temas orientadores: ambiental, cidadania, combate à corrupção, defesa nacional, economia, educação, emprego, equilíbrio fiscal, infraestrutura, projetos regionais, saúde e segurança pública. 

"Essa missão implica em estabelecer prioridades e, paralelamente, informar ao cidadão os esforços de todo o governo, as várias áreas de atuação a fim de atingir os objetivos delineados pela Presidência da República e propiciar autonomia e dignidade ao povo brasileiro", disse o ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto.

O presidente Jair Bolsonaro fez um discurso
ressaltando o direito à participação
cidadã de todos os brasileiros nos rumos
da nossa nação
"Nesse projeto Agenda + Brasil, nós queremos, cada vez mais, de forma prática e objetiva, permitir a todos no Brasil que possam acompanhar a execução de suas obras. E em percebendo algo anormal, colaborar, no sentido de que aquela obra seja redirecionada, no que diz respeito aos seus gastos. Então, num primeiro momento, foram escolhidas 20 obras. Outras virão, que estarão à disposição, então, em portal do nosso governo", declarou o presidente Bolsonaro durante discurso.

Em seu lançamento, a plataforma já conta com mais de 20 projetos. Toda a movimentação, realização e entrega realizadas por cada uma das iniciativas serão repassadas para a população tanto pelo site quanto diretamente no aplicativo de mensagens WhatsApp. Ao acessar o site, é possível cadastrar o número de celular na plataforma e acompanhar os projetos do Governo Federal a partir de notificações no celular. O usuário vai receber uma mensagem diretamente no seu WhatsApp sempre que uma nova atualização no site for divulgada.

"Utilizar a internet e as redes sociais como meio de prestar contas à sociedade é uma iniciativa inovadora e que demonstra o compromisso do governo Bolsonaro com o nosso pais, A palavra de ouro aqui é TRANSPARÊNCIA" explica Barbara Bastos.



Silvia Waiâpi, Barbara Bastos e Hélia Braga: Mulheres Conservadoras


Sérgio Rogério e Barbara Bastos, dirigentes do Comitê Sul Bahia Bolsonaro Presidente e do Movimento Ilhéus tem Jeito
LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails