sexta-feira, 16 de abril de 2021

China ordena fechamento dos orfanatos católicos

O Partido Comunista Chinês decretou o fechamento e o cancelamento de todos os orfanatos católicos. Estas instituições foram valorizadas por décadas pelos chineses até mesmo por membros do Partido. 

Em meio à confusão e assombro causado por esta medida do governo comunista, um padre chinês, padre Wendao, faz um apelo ao Papa Francisco em nome desses órfãos. 

Compartilhamos aqui as palavras desse corajoso padre, em defesa dos órfãos e deficientes atingidos pelo fechamento dos orfanatos católicos.

Veja o que ele escreve:

Nos últimos tempos, tem havido muitas notícias sobre o fechamento ou supressão de casas para crianças deficientes ou órfãs administradas pela Igreja Católica. Alguns dos casos mais recentes são o Lar São José para Crianças Deficientes em Renqiu, Xianxian (Diocese de Cangzhou) e o Lar Liming (Dawn) em Zhaoxian, ambos em Hebei. Também há notícias sobre os orfanatos católicos Zhangjiakou e Zhengding, também em Hebei. Há dois anos o mesmo aconteceu com um orfanato em Baoji (Shaanxi), cuidado pelas Irmãs do Sagrado Coração.

Agora, o governo não está apenas ignorando a maravilhosa contribuição e o serviço social de alta qualidade que a Igreja Católica oferece, ele está destruindo-a! As autoridades ordenaram às freiras que fechassem os orfanatos e transferissem as crianças órfãs e deficientes que estavam com elas para instituições do Estado. Note-se que essas pessoas são os mesmos representantes do governo que, no passado, consideravam que o registro da identidade dessas crianças era um incômodo e não fazia sentido. O que aconteceu? Eles mudaram, eles se tornaram gentis durante a noite? É claro que o objetivo do governo não é servir às crianças abandonadas, mas seguir as ordens políticas de seus superiores: fazer todo o possível para reduzir a influência da Igreja Católica na China. Por isso, sejam os serviços sociais ou a vida da Igreja, o governo reprime implacavelmente tudo ou impõe uma série de medidas de controle.

Durante a Semana Santa e na Páscoa deste ano, muitos fiéis em diferentes partes da China espalharam mensagens cheias de tristeza porque não puderam participar das liturgias da Semana Santa. Dizem que gostariam de participar das cerimônias, mas as igrejas foram fechadas. Shopping centers e atrações turísticas estão abertos – por que não a igreja? Parece que isso se deve à pandemia, mas na verdade existe um controle mais rígido sobre a Igreja. Dias atrás, outra notícia triste foi divulgada de Xangai: “devido à pandemia de Covid-19, qualquer peregrinação a Sheshan (Xangai) será proibida” precisamente nos próximos meses, quando a bendita Mãe de Deus é homenageada e celebrada.

Casos semelhantes ocorrem não apenas em igrejas, mas também em escolas em todos os níveis. O governo reforçou o controle sobre a fé religiosa de alunos e professores, do ensino fundamental à universidade, e eles fazem todo o possível para controlar todos os ambientes educacionais para que nenhuma atividade religiosa ou da Igreja ocorra.

Alguns fiéis comentaram que a escola divulgou documentos para investigar a fé religiosa de alunos e professores. Quando descobrem que têm uma fé religiosa (e principalmente católica), alguns foram persuadidos a abandonar o caminho educacional, outros foram advertidos por pressões psicológicas; alguns professores receberam ameaças de que suas carreiras estavam em risco, outros foram desprezados em público. O objetivo é chegar a zero crentes na escola, fazendo com que alunos e professores entendam que é melhor não acreditar em nenhuma religião.

Enquanto escrevo isto, o Acordo (provisório) entre a China e o Vaticano vem à mente. Quando foi assinado, a Igreja na China ficou muito animada. Todos eles esperavam por “dias melhores”. Além disso, um grande número de pessoas na igreja estava entusiasmado e para muitos fiéis a luz finalmente estava alcançando a China. A mídia chegou a dizer que o Papa viria à China em breve.

À luz desta esperança, os fiéis chineses aceitaram esses bispos como pastores oficiais da Igreja. Mas, de fato, uma organização não reconhecida pela Igreja, a Associação Patriótica, ofuscou os princípios dos fiéis e se tornou um modelo oficial. Alguns padres que cultivam o “sonho de [ser] bispo” agitam a bandeira do pacto sem considerar se há vantagens para a Igreja, e impõem desavergonhadamente, como no mercado Liu’yin em Pequim, olhando para as próprias vantagens.
LEIA MAIS

terça-feira, 13 de abril de 2021

Assine a petição em apoio ao Deputado Daniel Silveira


O Deputado Federal Daniel Silveira (PSL-RJ) foi preso no dia 16 de fevereiro, após fazer um vídeo em que defendia seus posicionamentos ideológicos, e exercendo seu direito à liberdade de expressão e suas prerrogativas de imunidade parlamentar, posicionou-se a respeito de ações tomadas pelos ministros do STF.

Em prisão domiciliar a quase um mês, o deputado passou também um mês detido no Batalhão Especial Prisional (BEP) da Polícia Militar, em Niterói, na região metropolitana do Rio.

A prisão foi determinada pelo Ministro Alexandre de Moraes, adensada ao inquérito das Fake News, sob o argumento de que o Deputado estaria cometendo crime contra a honra de ministros e contra a segurança nacional.

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados instaurou no dia 23 de fevereiro um processo disciplinar para apurar a conduta do deputado Daniel Silveira, que pode levar à cassação do mandato dele. No Conselho de Ética, Silveira responde a uma representação apresentada pela própria Mesa Diretora, órgão formado pelo presidente, Arthur Lira (PP-AL) e mais seis integrantes titulares.

Agora, o Movimento Advogados do Brasil coleta assinaturas eletrônicas para uma petição em defesa do Deputado Daniel Silveira, direcionada ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, solicitando que este órgão legislativo aplique uma pena mínima ao deputado, uma sanção educativa para sanar os supostos danos originados da conduta de Daniel Silveira.

Para assinar a petição, acesse o link baixo e preencha os dados solicitados. Vale lembrar que a assinatura precisa ser validada através do seu e-mail. Para isso, basta que você acesse o seu e-mail, abra a mensagem enviada pelo site da petição e  confirme a sua assinatura.

Link para Petição
LEIA MAIS

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Ilheenses foram às ruas em homenagem ao PM Wesley

Na terça-feira, dia 06 de abril, os cidadãos de Ilhéus, cidade litorânea do sul da Bahia realizaram uma manifestação pacífica em homenagem ao PM Wesley, morto a tiros no final do mês passado, no Farol da Barra em Salvador.
O ato, que contou com a participação de policiais militares, policiais civis, bombeiros militares, policiais penitenciários e sociedade civil, aconteceu no centro da cidade, em frente à Catedral de São Sebastião.
Muitos participantes emocionaram-se com os discursos feitos por representantes de associações policiais e familiares de militares.
O objetivo da manifestação foi levar à toda Bahia e todo o Brasil as palavras de Wesley.
"As palavras de Wesley ecoaram no coração de milhões de pessoas. Sejam militares ou civis, todos entendemos o que ele quis transmitir. A polícia não pode ser usada contra a sociedade. Policial algum fica feliz em prender trabalhador ou pai de família." - declarou Sérgio Rogério, presidente do Comitê Sul Bahia.
Além de homenagear a memória de Wesley, os manifestantes também clamavam por justiça. "Não podemos deixar que o que aconteceu com Wesley seja esquecido. Ele foi abatido pelos próprios colegas de farda, em uma ação que podemos classificar como no mínimo estranha. Um animal teria um tratamento melhor do que Wesley recebeu." - disse Barbara Bastos, representante das famílias de militares.
Associações de policiais já declararam estar tomando providências para que o acontecido com Wesley seja apurado com rigor judicial. Além disso, também foi pedido o afastamento do secretário de segurança pública da Bahia e a participação efetiva do Ministério Público na investigação dos fatos.
Os manifestantes encerraram o ato com uma carreata que percorreu todo o centro e zona norte da cidade.
LEIA MAIS

Bahia: Templos e atividades religiosas são reconhecidos como essenciais

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Adolfo Menezes (PSD), promulgou nesta quarta-feira (7) a lei que reconhece a prática religiosa e o funcionamento de templos religiosos como atividades essenciais no estado.
 
A decisão foi tomada após o governador Rui Costa (PT) não sancionar o texto, aprovado pela Casa, por unanimidade, em 24 de março deste ano. Segundo a Constituição da Bahia, o chefe do Executivo tem 48 horas para promulgar uma lei. Caso não cumpra o prazo, o presidente da Assembleia Legislativa fica autorizado a fazê-lo.

Com a promulgação, a lei, de autoria da Mesa Diretora da AL-BA, passa a valer em todo o estado. 
LEIA MAIS

quarta-feira, 3 de março de 2021

Phyllis Schlafly: referência feminina do conservadorismo



Phyllis Schlafly foi uma das mulheres mais influentes na história do Partido Republicano dos Estados Unidos e do Movimento Conservador. Ativista e engajada na luta conservadora, ela 
montou um movimento de base com a participação de milhares de donas de casa, fez da campanha anti-aborto uma das principais plataformas do Partido Republicano, fomentou o crescimento do conservadorismo e ajudou a eleger presidentes como Ronald Reagan. 

Ainda assim, ela é praticamente uma desconhecida para quem não está familiarizado com a tradição política norte-americana.

Phyllis determinou uma grande parte dos valores do movimento conservador norte-americano, influenciou a propagação mundial das ideias conservadoras, defendendo a família como elemento central da sociedade e repudiando o feminismo e o aborto. Acima de tudo, ela foi a principal promotora do resgate da ideia de que a mulher é basicamente uma cuidadora e mãe, antes de ser trabalhadora.

"O que estou defendendo são os verdadeiros direitos das mulheres. Uma mulher deveria ter o direito de estar em casa como esposa e mãe."

Phyllis Stewart Schlafly  nasceu em uma família sulista do Missouri, atingida pela depressão econômica da década de 1930. Criou-se em um ambiente católico, o que foi fundamental para que valorizasse a ideia de esforço e trabalho, meritocracia. Durante a Segunda Guerra Mundial, com apenas vinte anos, foi técnica de balística na maior fábrica de munições do mundo. Foi uma universitária destacada: formou-se em Direito, especializou-se em Direito Constitucional, e obteve um mestrado em Política Governamental na prestigiada Faculdade Radcliffe. Pouco depois, conheceu e se casou com o advogado John Fred Schlafly Jr., de uma rica família de Saint Louis. Anos mais tarde, ela se doutorou em Direito.

Schlafly trabalhou em campanhas para a eleição de governadores republicanos no final dos anos 1940 e escreveu panfletos anticomunistas durante a Guerra Fria. Em 1952 foi candidata republicana ao Congresso. 

Inteligente e muito sedutora, Phyllis percorreu todo o país e se tornou o flagelo das feministas. Seu discurso fundamentado de tradição e estabilidade familiar, exortando as mulheres a escolherem a felicidade no matrimônio e no lar, criou um movimento de base que fez vários Estados mudarem de opinião. Pelo caminho enfrentou o ódio encarniçado dos defensores dos direitos civis.

Seu livro A Choice Not an Echo (“Uma escolha, não um eco”), que incentivava e orientava o partido republicano a se afastar do “establishment da Costa Leste” ―como Henry Kissinger, a quem detestava ―, vendeu três milhões de exemplares, tornando-o um dos livros de política conservadora mais vendidos de todos os tempos nos Estados Unidos.

Phyllis entrou para a história de vez em 1972, quando encabeçou a campanha contra a chamada Emenda da Igualdade de Direitos (ERA, na sigla em inglês). O que parecia uma batalha ganha desde o início pelos liberais democratas se tornou um debate que perdurou até a década de oitenta, perdendo força.

No auge de sua influência, quando ela discava o número de Ronald Reagan na Casa Branca, o presidente jamais deixava de atender aos seus telefonemas. Reagan gostava de conversar com ela. Os dois se tornaram grandes amigos durante a primeira campanha de Reagan como presidenciável.

Durante anos, até sua morte, em 2016, Phyllis presidiu a Eagle Forum, entidade civil fundada por ela, que atua em defesa dos valores conservadores, da família, da vida, da pátria.


Links

Link para Download do livro de Phyllis Schlafly  - A Choice Not an Echo 
https://eagleforum.org/about/phyllis-books/a-choice-not-an-echo-1964.html

Link para site do Eagle Forum
https://eagleforum.org/

LEIA MAIS

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Bahia recebeu R$ 36 bilhões do Ministério da Educação para combate ao Coronavirus nas escolas.

A Bahia é o quarto estado da União que mais recebeu verba do Ministério da Educação (MEC) para o combate ao novo coronavírus através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE). As informações constam no 6º relatório bimestral da execução orçamentária do Ministério, promovido pela organização Todos pela Educação, divulgado na última segunda-feira, 22 de fevereiro.

Os 4 estados que mais receberam foram: 
1- Minas Gerais (R$ 56,1 bilhões)
2- São Paulo (R$ 51,1 bilhões)
3- Paraná (R$ 38,2 bilhões)
4- Bahia (R$ 36,9 bilhões)

Mesmo tendo recebido esse considerável investimento, a Bahia continua sem definir prazo para o retorno das aulas presenciais, que estão suspensas desde março de 2020.

Na semana passada a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou o ranking brasileiro da educação pública à distância durante a pandemia. O resultado foi assustador: A Bahia ficou em último lugar.

De acordo com o relatório da FGV, o estado tirou nota zero na pesquisa porque não apresentou nenhum programa no período em que ia dados foram colhidos. O relatório também pontua que “houve atrasos significativos na adoção desses programas tanto pelos estados quanto pelas capitais”. “Além disso, os programas foram desenhados com atenção insuficiente para a questão da garantia de acesso a tecnologias que permitiriam o aprendizado e supervisão de alunos de forma remota”, diz trecho da análise.

A média nacional foi de 2,38.
O líder no índice foi a Paraíba, com nota 6,03.

Tudo isso é um reflexo de como a educação na Bahia vem sendo negligenciada. O estado ainda amarga outros dois títulos vergonhosos: estado com maior número de analfabetos (1 milhão e meio de pessoas) e o terceiro pior segundo grau do Brasil.

Vale ressaltar que a Bahia está sendo governada pela quarta gestão consecutiva do PT, com dois mandatos de Jaques Wagner, seguidos por dois de Rui Costa. Chega a ser até irônico que justamente o partido que adotou como leva "Pátria Educadora", tenha plena participação na derrocada da educação na Bahia.


Links

Todos pela Educação - 6º relatório bimestral da execução orçamentária do Ministério da Educação
https://todospelaeducacao.org.br/noticias/relatorio-do-todos-impacto-da-pandemia-na-educacao-basica-tem-ido-alem-do-fechamento-de-escolas/
*Dados mencionados na matéria estão nas páginas 27 e 28 do relatório

Link para matéria sobre analfabetismo na Bahia
https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/2020/07/15/bahia-tem-maior-taxa-de-analfabetismo-do-pais-em-2019-aposta-ibge.ghtml

Link para matéria sobre péssimo Segundo Grau da Bahia
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/ideb-2019-bahia-nao-atinge-meta-e-tem-3o-pior-desempenho-do-pais-entre-alunos-do-ensino-medio/


LEIA MAIS

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Arcebispo Militar comunica à CNBB que não seguirá Campanha da Fraternidade 2021

Em carta destinada ao Presidente da CNBB e o Núncio Apostólico, Dom Fernando Guimarães, Arcebispo do Ordinário Militar do Brasil, fez um alerta exemplar, sobre a real função do tempo da Quaresma, esclarecendo que a época não é espaço para se dialogar sobre temas polêmicos e contrários à autêntica doutrina de nossa Igreja. Comunicou que seus Capelães Militares não utilizarão o material da Campanha da Fraternidade deste ano, e informou que o valor da coleta será destinado aos pobres.

Na carta, datada de 8 de fevereiro deste ano, Dom Fernando Guimarães assegura que a Assistência Religiosa às Forças Armadas é ecumênica por natureza, pois precisa lidar constantemente com membros de diversos seguimentos religiosos, contudo ressalta que o diálogo inter-religioso precisa ser feito em sedes competentes e frisa o real sentido do tempo da Quaresma.

Sim Fernando ontinua relembrando aos seus irmãos de episcopado sobre o juramento que fizeram, como autênticos Mestres e guardiães do Depósito da Fé, de garantir que a ortodoxia da fé seja pregada aos seus fiéis.

Apoiado nessas prerrogativas,  o Arcebispo Militar comunicou que no Ordinário Militar do Brasil, durante a quaresma deste ano, serão seguidas apenas as orientações teológico-litúrgicas próprias do tempo quaresmal e não serão utilizados quaisquer dos materiais produzidos oficialmente para a Campanha da Fraternidade 2021.

Ao término, Dom Fernando estabeleceu que todo percentual da coleta que seria destinada à campanha da fraternidade será empregado no socorro dos pobres através de obra social reconhecida pelo Ordinariado Militar.

Leia carta na Íntegra

Brasília, 8 do fevereiro de 2021
Exma. e Revmo.
Dom WALMOR OLIVEIRA DE AZEVEDO – Presidente da CNBB
Brasília, DF – (C/C Nunciatura Apostólica no Brasil)

Assunto: Campanha da Fraternidade 2021

Excelência o prezado Irmão,

Com relação à Campanha da Fraternidade de 2021, em consciência, devo declarar o seguinte:

1- O Serviço de Assistência Religiosa às Forças Armadas e Auxiliar o ecumênico em sua própria natureza e na atuação concreta junto à família militar. Os segmentos católicos, protestante o kardecista, aos quais pertence a maioria dos membros das Forças Armadas, convivem em harmonia e trabalham juntos. Nas celebrações inter-religiosas procuramos insistir sobre os valores comuns, partilhados por todos, e evitamos aqueles temas que são contraditórios ou não aceitos por todas as igrejas e denominações. O diálogo inter-religioso é necessário e oportuno somente quando, no respeito às diversas expressão de fé, é realizado em sedes competentes. A evangelização dos fiéis, no entanto, em qualquer tempo e ainda mais em um tempo especial como é a quaresma católica, não é espaço para se dialogar sobre temas polêmicos e contrário à autêntica doutrina de nossa Igreja.

2- Compete aos bispos diocesanos, como autênticos Mestres e guardiães do Depósito da Fé, garantir a ortodoxia da fé que é pregada aos seus diocesanos. Esta missão, objeto de solene juramento por parte de cada um de nós antes de nossa ordenação episcopal, compromete a minha consciência de bispo e a ela jamais poderei renunciar.

3- Por este motivo, comunico-lhe que no Ordinário Militar do Brasil, durante a quaresma deste ano, seguiremos apenas as orientações teológico-litúrgicas próprias do tempo quaresmal e não serão utilizados quaisquer dos materiais produzidos oficialmente para a Campanha da Fraternidade deste ano. Nossos Capelães Militares estão sendo orientados, coso desejem abordar o tema da mesma, a utilizar unicamente a Fratelli Tutti do Papa Francisco.

4- Também o percentual da coleta destinado a esta Conferência Episcopal – e repartido com outras entidades promotoras da Campanha – não será enviado e sim, real e efetivamente, empregado no socorro aos pobres, através de obra social reconhecida pelo Ordinariado Militar. Sobre este uso, será meu cuidado prestar contas posteriormente à Presidência.
Em união de oração, pela construção de uma autentica comunhão episcopal,

Dom Fernando Guimarães,
Arcebispo do Ordinário Militar do Brasil


Como seria bom se todos os bispos honrassem seu juramento, assim como Dom Fernando Guimarães e expressassem seu respeito aos fiéis e à fé Católica como o nosso estimado Arcebispo do Ordinário Militar do Brasil

LEIA MAIS

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Toyota exibe comercial com mensagem pró-vida durante final do Super Bowl

No último domingo, durante a final do Super Bowl, a montadora Toyota levou ao ar um comercial com uma forte mensagem pró-vida. O emocionante vídeo apresentou a história de Jéssica Long, a nadadora paralímpica, que ganhou 13 medalhas de ouro.

O anúncio começa contando a história da bebê Jessica e seus pais adotivos. Antes de ser adotada, seus futuros pais foram informados sobre uma condição rara que Jessica possuía, o que  a levaria a ter  as pernas amputadas ainda na infância.

O roteiro do comercial traz, de maneira sensível e direta, a mensagem sobre o valor da vida. Nas primeira cenas podemos ouvir a voz da mulher da agência de adoção dizendo: 

“Encontramos uma menina para sua adoção, mas há algumas coisas que você precisa saber. Ela está na Sibéria e nasceu com uma doença rara. Suas pernas precisarão ser amputadas. Eu sei que isso é difícil de ouvir, mas a vida dela - não será fácil. ”

Surpreendentemente, a mãe adotiva responde: 

“Pode não ser fácil, mas será incrível. Mal posso esperar para conhecê-la. "

Jessica Long é uma das nadadoras mais condecoradas do mundo, tendo conquistado 23 medalhas paralímpicas, incluindo 13 de ouro, e 30 medalhas mundiais, sendo  24 de ouro.

Emocionada, a nadadora se manifestou sobre o comercial: 

"A maneira como a Toyota foi capaz de capturar tudo isso traz à tona todas essas emoções que eu meio que esqueci. Não comecei no esporte pensando que ganharia medalhas de ouro ou participaria de um comercial do Super Bowl. Comecei neste esporte porque realmente amava a água. Foi um lugar em que me senti realmente livre. ”


Jessica Long é cristã e faz parte do grupo “Fight for the Fatherless”, um movimento liderado por atletas cristãos que visa encorajar órfãos e pessoas afetadas por deficiências.

“Acredite que você é capaz de coisas incríveis e que Deus tem um plano para cada pessoa”, continua Jéssica. “Eu quero que você abrace quem Deus fez de você. Para amar cada parte de si mesmo, com as falhas e tudo."

“Por muito tempo eu tinha vergonha das minhas pernas e costumava escondê-las, mas agora sei que Deus me fez assim para ser uma luz neste mundo”, acrescentou a atleta. 

"Nascer sem pernas nunca foi um castigo. Agora olho para minhas pernas e penso em todas as pessoas que pude tocar porque Deus me fez assim. Abrace quem você é! Brilhe e nunca desista de seus sonhos."

Em um post em seu Instagram, Jessica Long celebrou o anúncio dizendo: 

“Nenhuma palavra vai dizer o quanto isso significa para mim. Ter minha história compartilhada dessa forma traz arrepios absolutos. Obrigado à Toyota por dar vida a minha história. Obrigado aos meus pais por me adotarem e me darem a melhor vida. Obrigado aos meus amigos e familiares por me apoiarem todos esses anos. Agradeço aos meus treinadores por me incentivarem a ser o melhor. Obrigado ao meu marido por me amar incondicionalmente."
LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails