terça-feira, 18 de junho de 2024

Estado dos EUA aprova pena de morte para condenados por estupro


O estado do Tennessee, nos Estados Unidos, aprovou uma lei que permite a pena de morte a condenados por estupro de crianças. O texto foi assinado pelo governador Bill Lee, do partido republicano, no mês de maio e entra em vigor no dia 1º de julho de 2024.

A nova lei autoriza o Estado a impor a pena de morte quando um adulto é condenado por estupro agravado de uma criança. De acordo com o G1, os condenados podem ser sentenciados à morte, à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional ou à prisão perpétua.

No entanto, o estado não poderá executar a lei por conta de uma decisão da Suprema Corte dos EUA de 2008, que proibiu a pena de morte em caso de estupro de crianças. Anteriormente o Tennessee permitia que condenados por este crime fossem condenados à morte, mas após a decisão da Suprema Corte, a lei tornou-se inconstitucional.

A lei de execução nos EUA determina que, para crimes serem elegíveis à pena de morte, eçes devem envolver a morte da vítima ou traição contra o governo.

LEIA MAIS

Briga generalizada na AL-BA: Deputados envolvidos em confusão dão suas versões


Os deputados estaduais que foram protagonistas da briga generalizada que aconteceu no plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), na tarde desta terça-feira, 18 de junho,  deram suas versões sobre a confusão.

Olívia Santana (PCdoB) acusou os bolsonaristas Diego Castro e Leandro de Jesus, ambos do PL, de fazerem constantes ameaças contra ela. Em discurso após o tumulto, a comunista cobrou punição aos parlamentares.

“Habitualmente eu tenho suportado nessa Casa todos os pronunciamentos do deputado Diego, do deputado Leandro de Jesus, sempre marcados por provocações dirigidas a mim. Sempre ouvi, escutei e só me pronuncio quando a palavra me é dada. O que aconteceu aqui hoje não pode passar em branco. Peço para a nossa presidência, para a mesa diretora desta Casa que tome providências porque isto aqui é um parlamento e todos nós temos condições de expressar nossos argumentos e estabelecer o debate civilizatório, porque nós fomos eleitos pelo povo. Não vou suportar ameaças, nem do deputado Diego e nem de Leandro que não conseguem conviver com a democracia, não conseguem ouvir para depois falar e tem proferido xingamentos como foi o que aconteceu aqui”, disparou Olívia. Para jornalistas, a comunista afirmou que também fará o requerimento contra Castro por escrito.

Já Marcelino Galo (PT) saiu em defesa de Olívia e criticou a atuação de Diego Castro. Os dois trocaram empurrões e foram separados por parlamentares e seguranças.

“Acho que temos que ter um comportamento ético. Quando o deputado é eleito ele não se representa, ele representa uma parte da sociedade e aqui é um espaço da democracia, é uma Casa que você pode ouvir as diversas manifestações e tem que responder da forma que é regimental. Então não se pode agredir uma mulher com dedo em riste, ameaçando Isso não é o comportamento de uma parlamentar”, comentou o parlamentar.

Galo é vice-presidente do Conselho de Ética e não descartou levar o caso para análise do colegiado. “Eu não tomo medida em particular. Acho que o ato foi presenciado por todo mundo e o líder do governo, que partiu em defesa dessas parlamentares, vai ver o que fazer”. disparou o deputado.

Por sua vez, o deputado Diego Castro negou que tenha começado a confusão e disse ser vítima de toda a situação, que segundo ele foi causada pelos deputados de esquerda.

“A deputada é a deputada mais injustiçada da face da terra, que mais sofre violência de tudo o que vocês podem imaginar. Vamos para as provas. Está no vídeo o deputado do PT me empurrando, me agredindo, está em todos os noticiários. Vocês estão vendo aí a verdade contra fatos provados, inclusive concretamente não há contra-argumentos mentirosos, como eles utilizam. Quem foi a grande protagonista da questão? Foi ela, que quando subiu no plenário fez menção a mim e ao colega Leandro. No discurso dela deu a entender que defendíamos estupradores, mas quem na verdade defende ela e o partido dela que é contra a castração química, que é a favor da leniência com a criminalidade”, se defendeu o deputado.

Ele continuou, dizendo não temer representação no Conselho de Ética. “Eu fui pedir na questão de ordem para que se retirasse das notas taquigráficas esses termos citados por ela, que me foi negada. Agora a deputada veio fazer discurso dentro da questão de ordem e foi concedida. Quer dizer que eu tenho que ir para o Conselho de Ética e ela não? Quem me agrediu não pode ir e eu tenho que ir? Aí vem com essa conversa de chantagem emocional, de violência de gênero, de violência contra a mulher… Ela está no parlamento, ela tem que saber lidar com o contraditório, com um debate, um embate de ideias. Não fazer o que eles fizeram, que é partir para as vias de fato. Mostrem alguma agressão minha a eles. Não tem! Eles que quiseram criar essa balbúrdia aí, porque não sabem viver com o contraditório”, finalizou Diego.

ENTENDA A CONFUSÃO

O plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) virou palco para uma briga generalizada entre deputados na tarde desta terça-feira, 18 de junho. A cena estarrecedora aconteceu por conta de uma discussão envolvendo o polêmico Projeto de Lei 1904/2024, que endurece as medidas contra o aborto.

A confusão aconteceu após Olívia Santana (PCdoB) usar o púlpito da AL-BA para criticar o PL e pontuar que bolsonaristas não se levantam contra as atrocidades feitas contra mulheres. Logo depois da fala, o deputado Diego Castro (PL) rebateu, dizendo que “estupradores são vocês”.

Por sua vez, Marcelino Galo (PT), tomou as dores da colega da federação, e começou um bate-boca com Diego Castro, que acabou indo para as vias de fato, com empurrões entre os dois. O também bolsonarista Leandro de Jesus (PL) foi outro que partiu para briga, piorando ainda mais a situação.

Um punhado de parlamentares e seguranças agiram para conter os valentões. O 1º vice-presidente da AL-BA, Zé Raimundo (PT), que preside a sessão, precisou interromper os trabalhos por 15 minutos até os ânimos se acalmarem.
LEIA MAIS

Brasil registra mais de 3 mil mortes por dengue e se aproxima de 6 milhões de casos


O Brasil registrou através do painel de monitoramento de arboviroses do Ministério da Saúde cerca de 3.910 mortes confirmadas por dengue e 5.968.224 casos ao longo de 2024. Além disso, cerca de 2970 óbitos estão em investigação. Já o coeficiente de incidência da doença no país é de 2.939 casos para cada 100 mil habitantes.

Jovens na faixa etária de 20 a 29 anos estão registrando a maior parte dos casos da enfermidade. Em seguida estão as faixas etárias de 30 a 39 anos, 40 a 49 anos e de 50 a 59 anos. As idades com menores taxas de dengue são menores de um ano seguida por 80 anos ou mais e de 1 a 4 anos.

Na comparação de números absolutos, o estado de São Paulo é o primeiro do ranking com 1.813.282 casos, Minas Gerais (1.607.043) e Paraná (614.713). Pelo o coeficiente de incidência, o Distrito Federal possui o maior índice com (9.547 casos) para cada 100 mil habitantes. Logo depois estão Minas Gerais (7.824) e o Paraná (5.371).

Na análise de Chikungunya o levantamento registrou 220.828 casos prováveis. Somente neste ano, a enfermidade também transmitida pelo o Aedes aegypti obteve 121 mortes notificadas e outras 139 em investigação. O coeficiente atual é de 108,8 casos para cada 100 mil habitantes. A Zika, arbovirose também transmitida pelo mosquito, tem 8.466 casos neste ano e não teve mortes confirmadas ou em suspeita. Já o coeficiente de incidência no Brasil é de 4,2 casos para cada 100 mil habitantes atualmente.
LEIA MAIS

18 de junho: Dia do Orgulho Autista


No dia 18 de junho, celebramos o Dia Mundial do Orgulho Autista, uma data significativa que visa promover a conscientização, compreensão e aceitação do Transtorno do Espectro Autista (TEA) em todo o mundo.

O Dia Mundial do Orgulho Autista foi estabelecido pela primeira vez em 2005 pela organização Aspies for Freedom, que buscava uma maneira de rejeitar a abordagem médica tradicional de considerar o autismo como uma condição que precisava ser “curada”. Em vez disso, o movimento do Orgulho Autista propõe uma perspectiva que valoriza a neurodiversidade e reconhece as habilidades e talentos únicos das pessoas no espectro autista.

O TEA - Transtorno de espectro Autista - é uma condição neurológica do desenvolvimento que afeta a comunicação, a interação social e o comportamento, sendo complexa e variável, pois engloba diferentes perfis e níveis de funcionamento. Cada pessoa no espectro possui características e habilidades únicas, o que enfatiza a importância de reconhecer a diversidade autista.

As estatísticas indicam que o autismo é mais comum do que se imaginava anteriormente. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, cerca de 1 em cada 36 crianças é diagnosticada com TEA, conforme compartilhamos nesse artigo. Esses números destacam a necessidade de uma maior conscientização e apoio às pessoas no espectro autista.

O Dia Mundial do Orgulho Autista é uma ocasião para celebrar as conquistas das pessoas autistas e destacar a importância da inclusão e aceitação. É uma oportunidade de combater o estigma associado ao autismo, promover a compreensão do TEA e reforçar a mensagem de que a diversidade autista é uma parte valiosa da sociedade.

Além disso, o dia também é uma oportunidade para educar e informar o público em geral sobre as necessidades e desafios enfrentados pelas pessoas autistas. Ao aumentar a conscientização, podemos trabalhar para criar ambientes mais inclusivos e garantir que todos tenham oportunidades iguais de desenvolvimento e realização pessoal.

A celebração dessa data pode assumir várias formas, porém é essencial que a conscientização e o apoio não se limitem apenas a um dia específico. É fundamental que a sociedade como um todo se empenhe em promover a inclusão e o respeito às pessoas no espectro autista durante todo o ano. Isso implica em:Educação inclusiva: As escolas e instituições educacionais devem adotar abordagens inclusivas que atendam às necessidades individuais das crianças autistas. Professores e funcionários devem receber treinamento adequado para compreender e apoiar os alunos no espectro, proporcionando um ambiente de aprendizado inclusivo.

Acesso a serviços e apoio: É crucial garantir que as pessoas autistas tenham acesso a serviços de qualidade, como terapia, suporte médico e psicológico, e programas de habilidades sociais. Além disso, é importante que haja programas de apoio à transição para a vida adulta, para auxiliar na autonomia e integração no mercado de trabalho.
Sensibilização e aceitação: É fundamental que a sociedade em geral seja educada sobre o autismo, suas características e desafios. Isso ajuda a combater estereótipos, preconceitos e discriminação. Ao promover uma cultura de aceitação, podemos criar um ambiente mais inclusivo e apoiador para as pessoas autistas.

Oportunidades de emprego inclusivas: As empresas devem adotar políticas inclusivas de contratação e garantir que as pessoas autistas tenham igual acesso a oportunidades de emprego. A criação de ambientes de trabalho adaptados às necessidades das pessoas no espectro autista pode permitir que elas demonstrem suas habilidades e contribuam para a força de trabalho de forma significativa.

Autismo e pesquisa: Investir em pesquisas sobre o TEA é fundamental para aumentar nossa compreensão da condição e desenvolver intervenções eficazes. É importante apoiar organizações que promovem pesquisas e iniciativas relacionadas ao autismo, para que possamos avançar no conhecimento e nas melhores práticas de apoio.

Essa é uma data significativa para celebrar a diversidade autista, promover a conscientização e combater o estigma associado ao TEA. Através da conscientização, educação e aceitação, podemos construir uma sociedade mais inclusiva, onde todos tenham igualdade de oportunidades e sejam valorizados por suas contribuições únicas.
LEIA MAIS

segunda-feira, 17 de junho de 2024

UESB é condenada por assédio moral no setor de comunicação: TRT-BA fixa R$ 30 mil de indenização



A Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) foi condenada pela 1ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-BA), em Vitória da Conquista, por prática de assédio moral na Assessoria de Comunicação e na TV e Rádio UESB. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Jornalistas (Sinjorba), a partir da reclamação de seus associados.

A decisão foi proferida nesta segunda-feira, 17 de junho, pelo juiz Marcos Neves Fava, ao julgar ação civil pública interposta pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que teve o Sinjorba como assistente, pedindo a condenação por dano moral coletivo pelos delitos trabalhistas listados.

O TRT-BA condenou a UESB a pagar indenização de R$ 30 mil, além de determinar “a adoção de medidas eficazes para HIGIENIZAÇÃO do ambiente de trabalho no setor”, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00. Também manteve afastado dos cargos o principal acusado da prática de assédio moral, Rubens Sampaio.

A sentença ainda apontou a conduta da atual reitoria da UESB, que de forma nunca antes assistida em uma universidade pública, atuou desde o início para não investigar e não punir o assédio moral denunciado. Segundo o Sinjorba, a reitoria fez de tudo para proteger acusados de assédio, inclusive, patrocinar um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) “fajuto”, para livrar os assediadores de suas culpas.

O advogado do Sinjorba, Victor Gurgel, compreende a decisão como reparadora de uma situação absurda ocorrida nos muros da UESB. “A sentença faz justiça às vítimas de assédio, que além de sofrerem os efeitos do ato delituoso, tiveram coragem de denunciar e expor publicamente o problema”, diz.

Para o presidente do Sinjorba, Moacy Neves, o reitor Luiz Otávio tem duas possibilidades, agora. “A Reitoria pode rever sua postura, catar os cacos dos seus erros no tratamento do assédio para tentar reconstruir a imagem da UESB ou pode permanecer em sua postura, em sequência, omissa, leniente e cúmplice, enxovalhando mais ainda a instituição”, diz. Se escolher a segunda opção, diz o sindicalista, o atual reitor perderá totalmente a legitimidade para continuar dirigindo uma universidade pública.

Moacy diz que há outros fatos graves, inclusive no âmbito criminal, que virão à tona nos próximos dias, a macular ainda mais a imagem do Surte, da Ascom e da Reitoria da UESB. “O reitor ainda tem nas mãos uma chance para recuperar seu reitorado, a menos que seja muito mais importante para sua gestão, o que nos parece bastante estranho, manter os acusados de assédio impunes e protegidos, inclusive ocupando cargos”, diz o presidente do Sinjorba.

Para o Sindicato dos Jornalistas da Bahia, a decisão do TRT-BA expõe perante a comunidade universitária a comissão que foi indicada para dirigir o PAD. O sindicato lembra que o PAD foi acelerado para constar nas alegações finais da Universidade ao Tribunal do Trabalho, “sendo inclusive vazado ao acusado antes mesmo de ser homologado para que ele também incluísse o documento em sua defesa”.

“O TRT desconheceu completamente aquele PAD feito sob medida para arquivar o caso, culpabilizando as vítimas, e isso coloca os membros daquela comissão em exposição pública, pois está claro, participaram de uma ação imoral e condenável”, diz Moacy. Para ele, a maior derrotada neste episódio foi a UESB, que terá essa página muito triste gravada em sua história.
LEIA MAIS

Brasil fica entre os piores do mundo em avaliação de criatividade e pensamento crítico


A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico [OCDE] dedicou um dos volumes de pesquisas do Programa 
Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) ao tema “Mentes criativas e escolas criativas”, o estudo se baseia no princípio de que o pensamento criativo é importante para ajudar jovens estudantes a se adaptarem a um mundo de mudanças cada vez mais rápidas, 

A proposta é identificar as localidades que apresentam melhores resultados, no sentido de associar pensamento criativo aos currículos escolares. Dessa forma, o estudo vê a formação de cidadãos com capacidade de “pensar fora da caixa em diferentes contextos de tarefas” – em outras palavras, ter “competência para se envolver produtivamente na geração, avaliação e aprimoramento de ideias que possam resultar em soluções originais e eficazes, avanços no conhecimento e expressões impactantes da imaginação”.

Elaborado em 2024 pela OCDE, tendo por base dados obtidos no Pisa 2022, esse ranking avaliou a capacidade dos alunos de 15 anos de pensar criativamente, com competência para se envolver na geração, avaliação e aprimoramento de ideias originais e diversas. 

Singapura apresentou estudantes com melhor desempenho em termos de pensamento criativo, em um ranking de 64 países. O país líder do ranking obteve 41 pontos, enquanto a média nos países da OCDE ficou em 33. No patamar acima da média estão também Coreia e Canadá (ambos com 38 pontos), seguidos de Austrália (37); Nova Zelândia, Estônia e Finlândia (36); Dinamarca, Letônia e Bélgica (35); Polônia e Portugal (34 pontos).

Com 23 pontos, na 49ª posição, o Brasil está “entre os países que apresentaram resultado significativamente abaixo da média da OCDE”, explicou o diretor de Educação e Competências, da OCDE, Andreas Schleicher, durante a divulgação do levantamento pela entidade.

De acordo com a OCDE, o Brasil integra um grupo de países em condições bastante similares, entre as posições 44 e 53 do ranking. Para a organização, há “grande lacuna de desempenho no pensamento criativo” entre os países que apresentaram os melhores e os piores desempenhos.

Para se ter uma ideia, 97 em cada 100 alunos nos cinco melhores países com melhor classificação tiveram desempenho acima da média dos alunos nos cinco com pior resultado, destacou a OCDE referindo-se à Albânia, às Filipinas, ao Uzbequistão, Marrocos e República Dominicana – que obtiveram entre 13 e 15 pontos no levantamento.

Segundo a pesquisa, em média, nos países da OCDE, cerca de um em cada dois estudantes consegue pensar em ideias originais e diversas em tarefas simples de imaginação ou em situações de resolução de problemas cotidianos.

“Em Singapura, Letônia, Coreia, Dinamarca, Estônia, Canadá e Austrália, mais de 88% dos estudantes demonstraram nível básico de proficiência em pensamento criativo, o que significa que eles podem ter ideias para uma série de tarefas e começar a sugerir ideias originais para problemas familiares”, detalha o estudo ao acrescentar que a média da OCDE é de 78%.

Nos 20 países e economias que apresentam baixo desempenho, menos de 50% dos estudantes atingiram esse nível básico.

“Percebemos que a excelência acadêmica não é pré-requisito para a excelência no pensamento criativo”, acrescentou Schleicher. 

De acordo com a pesquisa, aproximadamente metade dos alunos com melhor desempenho em pensamento criativo, teve desempenho de alto nível em matemática.

O levantamento revelou ainda diferenças de desempenho quando a comparação é por gênero. “As garotas são mais fortes em termos de pensamento criativo do que os garotos. Isso provavelmente se explica pelo fato de terem mais hábito de leitura”, disse o diretor da OCDE.

“Em nenhum país ou economia os meninos superaram as meninas em pensamento criativo, com as meninas marcando 3 pontos a mais em pensamento criativo, em média, em toda a OCDE. A disparidade de gênero é significativa em todos os países/economias, após contabilizado o desempenho em matemática e em cerca de metade deles, mesmo depois de contabilizar o desempenho de leitura dos alunos”.

“As diferenças de gênero e socioeconômicas no desempenho persistem em todos os tipos de tarefas. Meninas se apresentaram particularmente melhor do que os meninos em trabalhos de expressão escrita e naquelas que exigem que eles desenvolvam as ideias dos outros. As diferenças socioeconômicas no desempenho são maiores no domínio da expressão escrita”, acrescenta a pesquisa.

Alunos em melhores condições socioeconômicas também apresentaram melhor desempenho no pensamento criativo. Os mais favorecidos obtiveram pontuação média de cerca de 9,5 pontos acima da obtida pelos menos favorecidos em toda a OCDE. “Em geral, a força da associação entre nível socioeconômico e desempenho é mais fraca no pensamento criativo do que em matemática, leitura e ciências”, complementou.

Segundo a OCDE, um fator que pode fazer diferença nas escolas é o uso da pedagogia em salas de aula. Nos países da OCDE, entre 60% e 70% dos estudantes relatam que, além de valorizar a criatividade, seus professores os incentivam a apresentar respostas originais e dão oportunidades para expressar as suas ideias na escola.

Esses alunos obtiveram notas um pouco mais altas do que seus pares no pensamento criativo, mesmo depois de levar em conta suas características e as da escola e seus desempenho em matemática e leitura.

O estudo também constatou que a participação regular (pelo menos uma vez por semana) de estudantes em atividades como artes, teatro, redação criativa ou aulas de programação resulta em melhor desempenho no pensamento criativo.
LEIA MAIS

Celine Dion emociona público em documentário sobre sua vida e lição de resiliência


A cantora canadense Celine Dion mais uma vez está sob os holofotes mundiais. Desta vez a artista vem a público emocionando a todos com um documentário sobre a sua vida.

Apesar dos altos e baixos da vida, Celine assegura que sua “paixão como artista nunca vai desaparecer”, apesar de seus problemas de saúde, que, segundo ela, são apenas uma pequena parte de sua história monumental.

“Eu não estou morta”, declarou a cantora nesta segunda-feira, 17 de maio, antes da estreia do emocionante, mas também alegre documentário “I Am: Celine Dion” (Eu Sou: Celine Dion).

O filme foca em sua brilhante carreira artística e nos problemas mais recentes derivados de uma rara doença neurológica que a obrigou a se afastar dos palcos. Para a artista canadense, a decisão de falar sobre sua doença no documentário é ao mesmo tempo “o maior presente e a maior responsabilidade” e ela espera inspirar pessoas em situações semelhantes.

“É difícil estar aqui”, admitiu para a imprensa, embora “ao mesmo tempo, estou muito comovida”, disse em seu francês nativo. “Sinto que ainda tenho muito apoio e muito amor, e espero que este documentário ajude, porque ele me ajudou muito”, disse Celine, agradecendo a familiares, equipe médica e fãs pelo apoio nesta luta eterna e diária.

A cantora de 56 anos, conhecida por sucessos como “My Heart Will Go On”, parte da trilha sonora de “Titanic”, revelou em dezembro de 2022 que foi diagnosticada com síndrome de pessoa rígida (SPR), um distúrbio autoimune progressivo sem cura que a obrigou a cancelar indefinidamente suas apresentações.

O tratamento ajuda a aliviar os sintomas dessa doença, que pode causar rigidez muscular no dorso, braços e pernas, além de espasmos graves que podem fazer com que perca a voz de forma incontrolável.

Irene Taylor, diretora do filme, revelou a uma agência de notícias que o único pedido de Celine Dion foi poder contar sua própria história, com suas próprias palavras.

“Foi como música para os meus ouvidos de contadora de histórias”, disse Taylor. “Ela se abriu e foi muito autêntica, tanto em sua alegria quanto em seu sofrimento”, relatou a diretora.

O filme também documenta a gravidade da dor de Dion, incluindo uma longa sequência que mostra, com detalhes angustiantes, a cantora sofrendo um ataque. A cena, na qual ela aparece imóvel e incapaz de falar, levou muitos espectadores às lágrimas.

Apesar das cenas tristes, o fio condutor do documentário não é tanto sua doença, mas sim seu amor pela família, amigos e música.

A cantora está visivelmente perturbada pela perda de sua voz privilegiada, mas é sua alegria de viver e seu inabalável senso de humor que brilham no filme, encantando os espectadores.

No início deste ano, Celine fez uma aparição surpresa no Grammy para apresentar o prêmio de Álbum do Ano, concedido a Taylor Swift, em uma das raras aparições públicas após revelar que sofria de SPR.

Antes da exibição do documentário, em uma sala lotada em Manhattan, Celine Dion se comparou a uma macieira, uma metáfora que também usa no filme: sempre sentiu que precisava produzir frutos brilhantes para os fãs, que estavam dispostos a pagar grandes quantias para vê-la.

Dion se emocionou ao descrever o recente comentário de uma admiradora, que lhe disse em uma mensagem: “Não estamos aqui pelas maçãs… estamos aqui pela árvore”.

“Este filme é minha carta de amor para cada um de vocês”, disse Celine em meio a uma grande comoção. “E espero voltar a ver todos vocês muito em breve”.

O documentário sobre Celine Dion, cantora que vendeu mais de 250 milhões de álbuns ao longo de sua carreira, estará disponível em todo o mundo em 25 de junho na plataforma de streaming Prime Video.
LEIA MAIS

Marrone se afasta dos palcos por 15 dias após cirurgia e shows na Bahia acontecerão apenas com Bruno


Os próximos shows da dupla Bruno e Marrone terão apenas 50% da dupla no palco. Devido ao procedimento cirúrgico de emergência realizado por Marrone nesta segunda-feira, 17 de junho, Bruno dará continuidade aos compromissos profissionais da dupla sozinho.

Por meio de nota, a equipe de Bruno e Marrone confirmou que os shows não seriam cancelados mesmo com a ausência de Marrone pelos próximos 15 dias. A segunda voz da dupla foi diagnosticada com estágio avançado de glaucoma em ambos os olhos e precisou passar pela cirurgia no hospital CBCO – Hospital de Olhos.

"O médico responsável pelo procedimento é o cirurgião Dr. Francisco E. Lima, que pediu afastamento do cantor nos próximos 15 dias, quando passará por uma nova avaliação. Nenhum show será cancelado, Bruno seguirá cumprindo a agenda da dupla."


A agenda de shows da dupla para o mês de junho conta com 17 shows. Na Bahia a dupla tem três apresentações. A primeira acontece em Irecê na quarta-feira, 19 de junho. O segundo show, que terá só Bruno no palco acontece em Serrinha no dia 22 de junho, e a última apresentação agendada para o estado é no dia 23 de junho, em Jequié.
LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails