quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2015... ops ...2016

2016 está batendo na porta e junto com essa lufada de otimismo e bons fluidos, sempre vem o desejo de mudança. Não que 2015 tenha sido de todo ruim. Posso dizer que algumas coisas boas aconteceram neste ano que se finda: Restabelecimento da saúde da vovó, amigos reencontrados, viagens, filhos que nos dão orgulho... Porém, nada supera a minha alegria de poder ver meu amado realizar um dos seus sonhos mais antigos: estudar na UESC. Esta foi com toda certeza a cereja no topo do bolo.


As coisas ruins de 2015, já enterrei com ele. Afinal, quem vive de passado é museu. E como dizia Shakespeare: “Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.” Então, bola pra frente.

Não vou ficar aqui enchendo linguiça e falando da crise econômica do Brasil, da violência crescente, da corrupção desenfreada, dos atentados terroristas pelo mundo, dos refugiados, das incertezas sobre o nosso futuro... Com toda certeza você vai ler muito sobre isso em outros lugares.

Quando sentei e olhei para a folha em branco na tela do computador, vi que o ano novo é como ela: um grande espaço a ser preenchido conforme nosso desejo.

Pensando nisso, resolvi fazer algumas edições em certos aspectos da minha vida. 
CONTROL + C e CONTROL + V para as alegrias e bons momentos (Incluindo os reencontros com meus amados amigos do Afonso de Carvalho)
DELETE  para os maus sentimentos e pessoas negativas (especialmente aquelas que já se apresentam com a aura negra)
F5 para atualizar meus paradigmas e idiossincrasias
PAUSE BREAK para tudo que me prejudicar
HOME sempre é o melhor lugar do mundo
PLAY para novos hábitos saudáveis (Aqui incluo as caminhadas com minhas amigas Ana Cláudia, Sayonara e Arlene) 
PRINT SCREEN em alerta máximo (especialmente para os invejosos de plantão),
CONTROL+ ALT + DEL para tomar novo impulso e reiniciar antigos projetos
NUM LOCK para acrescentar alguns zeros a minha conta bancária
ENTER para novas oportunidades
CAPS LOCK para expressar como é grande o meu amor por toda a minha família... 

No fundo, no fundo, todos sabemos em que precisamos melhorar, o que precisamos mudar... Na grande maioria das vezes nos falta coragem e força de vontade.

Basta olhar para dentro de si. 

Basta reconhecer suas fraquezas. 

Bastar amar a si mesmo.

Assim, desejo a vocês um ano recheado com:


DOWNLOADS de good vibes
TORRENTS de muitos sucessos
UPLOADS de boas ações
LINKS de amizades verdadeiras
SHARES de sonhos
LIKES de amor!

Um grande beijo a todos!

Feliz 2016!!
LEIA MAIS

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Lagoa Vermelha


O verão tá chegando e nós aqui do Ideias Barbara´s já estamos pensando em refrescar seus dias.
Então, que tal um drink delicioso e rápido?
Escolhemos o famoso Lagoa Vermelha.
Confira!

Ingredientes
  • 1 dose de Suco de Limão
  • 1/2 dose de Vodka
  • 1/4 de dose de Curaçao Red
  • 1 lata de Soda Limonada (até completar o copo)
  • Gelo

Modo de fazer

  • Bata em uma coqueteleira o suco de limão, a vodka e o Curaçao Red.
  • Ponha tudo em um copo de long drink (Highball ou Hurricane Glass).
  • Adicione o gelo e complete o copo com a soda.


Dicas
  • Decore com laranja ou cereja.
  • Não esqueça do canudo como na foto
  • Gelo quebrado dá um ar de Iceberg, deixando o drink com uma cara mais sofisticada!.

LEIA MAIS

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

A epifania da Fosfoetanolamina

Espera-se que todos nessa vida tenham um momento de epifania.
Sabe, aquela hora em que você consegue enxergar além do que querem que você veja.
É justamente disso que trata este post: a súbita sensação de compreensão da essência, do significado.
Estava eu assistindo ao Conexão Repórter, no SBT.
O tema tratado no programa era a Fosfoetanolamina Sintética, uma combinação de uma substância bem comum, chamada monoetanolamina, que se utiliza em xampus para cabelos e mais o ácido fosfórico, um conservante de alimentos. As substâncias combinadas geram a fosfoetanolamina, que é um marcador de células diferenciadas – neste caso, as cancerosas. Ela é capaz de sinalizar, marcar as células doentes para que o sistema imunológico as reconheça e as remova.
Em outras palavras, a cura do câncer.
A fosfoetanolamina (ou fosfoamina) vem sendo estudada desde os anos 90 por pesquisadores brasileiros e era entregue de forma gratuita no campus da USP - Universidade de São Paulo, em São Carlos. Acontece que em 2014, por causa de uma portaria determinando que substâncias experimentais tivessem todos os registros antes de serem disponibilizadas à população, a droga parou de ser entregue pela universidade.
Sem a licença da Anvisa, elas passaram a ser entregues somente se determinadas pela justiça. 
É justamente aqui que começa a epifania.
Enquanto assistia ao programa, tive a oportunidade de ver e ouvir a opinião de oncologistas renomados sobre esse novo método de tratamento. Atacando ferozmente a fosfoetanolamina, eles se colocaram completamente contrários ao seu uso ou a sua eficácia, alegando até que tudo não passava de engodo, efeito placebo.
Senti-me profundamente indignada com estes posicionamentos porque pude perceber nitidamente interesses ocultos por trás de cada palavra. Várias questões me vieram à mente: 

  • Como podem atacar tão veementemente um novo método, quando a quimioterapia e a radioterapia não são 100% eficazes? 
  • Como podem matar a esperança de cura em milhares de pessoas que sofrem com este mal? 
  • Como podem rejeitar a fosfoetanolamina quando receitam remédios que causam centenas de efeitos colaterais nefastos aos doentes?
  • Como podem continuar se negando a enxergar os resultados positivos do tratamento com fosfoetanolamina?

É bem importante lembrar que o surgimento dessa substância pode significar uma verdadeira rasteira na indústria farmacêutica, que fatura milhões com o câncer.
Essa é a chave da epifania: dinheiro.
Infelizmente, o mundo se move em virtude do ter e não do ser.
Quem defende a fosfoetanolamina, não é contra a regularização, apenas deseja mais agilidade e seriedade no processo. Afinal, quem está em risco de morte, não possui todo o tempo do mundo para esperar.
Burocracia à parte, o Brasil tem nas mãos a chance de ser o precursor da cura do Câncer.
Não é admissível que a quartelização farmacêutica e os lobbys empresariais continuem prevalecendo sobre a vida de milhares de pessoas.
Perdi um avô, uma tia-avó, uma grande amiga e um bisavó para o câncer.
Tive todas essas oportunidades de ver o que esta doença faz com as pessoas.
Vi todo tipo de tratamento falhar.
Vi as esperança desaparecerem num passe de mágica.
Meu único desejo era que todos eles pudessem estar aqui hoje e terem a chance de serem tratados com a fosfoetanolamina.
Era apenas isso que meu coração clamava quando desliguei a televisão.


*Dedico este texto a todos aqueles que lutam pela fosfoetanolamina. A todos que não perderam a esperança!

A luta continua!!!
LEIA MAIS

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Sobre cabelos, ditadura e liberdade


Tava aqui em um dilema: falo sobre ou não? 
Em tempos onde tudo toma uma conotação preconceituosa, é muito complicado comentar sobre certos tópicos. 
Mas sinceramente falando, a primeira coisa que me veio a mente quando li esta matéria é o quanto nossa sociedade é alienada e cega. 
Já postei várias vezes sobre a estratégia do governo de separar para conquistar. 
E olha o resultado aí! 
Não consigo entender como em uma Cidade como Salvador, onde quase 90 por cento da população é negra, ainda tem tanta gente reclamando de racismo. Vocês são maioria!! Como podem ser oprimidos pelos outros 10 por cento? Este é um típico exemplo de alienação social, diga-se de passagem muito oportuno depois do que aconteceu com a Thaís Araújo. 
Respeito profundamente a Cultura Negra, até porque nenhum brasileiro pode dizer q é branco, negro, amarelo ou pardo, salvo os índios da Amazônia que não se miscigenaram. 
Somos todos mestiços!!! 
Somos todos um pouco de tudo!! 
Então, invés de falar em cultura afro, portuguesa, indígena, temos que falar da Cultura Brasileira!!! 
Quando o brasileiro enxergar q é um só, que o tom da pele ou a cor dos olhos não nos diferencia em nada, aí sim poderemos ter a esperança de uma sociedade mais justa, igualitária e humana. 
Por fim deixo aqui algumas perguntas: Será que essas mesmas pessoas que levantam as bandeiras desses movimentos segregacionistas são capazes de enxergar além das fronteiras que eles mesmos criaram? 
Até que ponto esta paranoia e este patrulhamento distorcido do pseudo "politicamente correto" não desvia nossos olhares das coisas realmente alarmantes e imprescindíveis?
No momento em que o país necessita de sérias transformações políticas, você que foi às ruas marchar pelo direito de ter seu cabelo crespo também seria capaz de ir às ruas marchar contra corrupção e à Ditadura imperante do atual governo? Ou será q o fato de ter conquistado certos direitos transformou estes cidadãos q se sentem diferentes em aliados cegos do estado? Afinal que golpe político seria bem sucedido se não incutisse nas massas a ideia de que a revolução foi necessária para um bem maior? 
Quantas pessoas realmente se dão ao trabalho de procurar saber o que fazem os deputados que elegeram, que projetos apresentam à Câmara, que temas apoiam, com que órgãos estão envolvidos?
Enquanto você lê este texto, tem deputado apresentado projeto para proibir o uso, fabricação e comercialização de sutiã com bojo!!
É muito cômodo, deixar o futuro da nação nas mãos dos caminhoneiros. Deixar q eles sofram e paguem pela sua coragem enquanto você, de pensamento pequeno, se preocupa com coisas tão menores.
Esse foi e é o governo que mascarou o mais atroz individualismo, por trás da fantasia de que todos somos parte de alguma minoria, de que somos todos diferentes e assim sendo devemos lutar pelo nosso grupo, deixando todo o resto de lado. 

Triste!
Quero ver é ter coragem de ir às ruas, enfrentar o governo no dia 15!!
Atire a primeira pedra quem já refletiu sobre tudo isso!



"As pessoas gostam do ideal de liberdade de expressão até o momento em que começam a ouvir aquilo que elas não gostariam que dissessem a respeito delas."
Augusto Branco
Poeta Brasileiro


*A imagem que ilustra este artigo é um print da matéria vinculada no Bahia Notícias
LEIA MAIS

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Bolo Gelado


Sabe aquele dia que você precisa fazer uma sobremesa rápida e fácil? 

Pois bem, selecionamos e testamos essa receitinha de Bolo Gelado que é simplesmente deliciosa!

E o melhor: você não vai gastar muito.
Confira os ingredientes:

INGREDIENTES


Para a massa
  • 4 ovos
  • 2 xícaras de açúcar
  • 3 xícaras de farinha de trigo
  • 1 copo de suco de laranja (250ml)
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Para a cobertura
  • 1 garrafa pequena de leite de coco
  • 1 garrafa de leite ( utilize a mesma garrafa do leite de coco como medida)
  • 1 lata de leite condensado
  • 1 pacote de coco ralado sem açúcar


MODO DE PREPARO

Massa
  1. Na batedeira bata as claras em neve
  2. Acrescente o açúcar e bata por mais uns 3 minutos
  3. Coloque as gemas, o trigo, o suco e continue batendo até formar uma massa homogênea
  4. Por último ponha o fermento, bata por mais 40 segundos na menor velocidade da batedeira
  5. Despeje a massa numa forma média e untada
  6. Asse em forno pré-aquecido em temperatura média por aproximadamente 40 minutos ou até dourar.
Cobertura e finalização

  1. Misture bem numa tigela o leite de coco, o leite e o leite condensado
  2. Reserve
  3. Assim que o bolo tiver assado, retire do forno e fure toda a sua superfície com garfo ou faca, assim a cobertura penetrará bem.
  4. Com o bolo ainda quente e já furado despeje a cobertura sobre ele.
  5. Salpique o coco ralado por cima.
  6. Leve à geladeira por aproximadamente 3 horas
  7. Corte o bolo em quadradinhos do tamanho que preferir e embrulhe com papel alumínio
  8. Conserve na geladeira
Obs.: Se o leite tiver fresquinho o bolo pode durar até 1 semana, isso se não acabarem com ele bem antes!

LEIA MAIS

domingo, 18 de janeiro de 2015

A voz do Silêncio


Sabe aqueles livrinhos que você olha e não dá nada por eles?
Pois é, foi assim que olhei a primeira vez para A VOZ DO SILÊNCIO. Sem expectativa alguma. Mas confesso que foi uma impressão totalmente equivocada.
O livro surpreendeu.
A história encanta por sua simplicidade.

Samara é professora e vive com o marido e o filho. Ao conhecer Nádia, a filha de sua faxineira, fica muito comovida. A menina de seis anos é surda em consequência de sua mãe ter contraído rubéola durante a gravidez. A professora quer ajudar a garota e proporcionar-lhe um tratamento adequado. Para isso, terá de enfrentar uma batalha dura, na qual vai se deparar com muitas surpresas, mas sempre de coração aberto. 
No início veio a resistência de sua própria família, seu marido Rodrigo e seu filho Gustavo foram contrários a ideia de trazer Nádia para morar com eles. Mas a doçura da menina e a persistência de Samara acabaram por vencer as barreiras da convivência cotidiana.

Mas os problemas de Nádia não estavam só na conquista dos corações de Rodrigo e Gustavo. Sua jornada ainda estava no começo. Vários obstáculos ainda estavam por vir. Primeiro a dificuldade de encontrar tratamento, depois os entreves para achar uma escola para crianças com deficiência auditiva, o alto custo dos aparelhos...
E quando tudo parecia estar nos eixos, o inesperado: Rosa, a mãe de Nádia, volta do nordeste e resolve levar a menina embora.
Não se decepcione! A história não acaba aqui!
O final é tão surpreendente quanto o resto do livro.
A voz do silêncio é um livro inspirador. Um livro que nos mostra como podemos ajudarmos mutuamente, como devemos valorizar a vida, como aprender a conviver com as diferenças.
A autora Giselda Laporta Nicolelis apresenta, no decorrer da narrativa, muitas informações sobre surdez, exames, tratamentos. Tudo com objetividade, clareza e um toque de consciência e responsabilidade social.
É claro que eu não vou contar como termina a história de Nádia.
Porém, como sempre, deixo aqui um trechinho...

A garota se esconde como um animalzinho arisco atrás da saia da mãe.
- Como é seu nome? – pergunta Samara
- Ela não fala. – Rosa, a faxineira, responde com um olhar triste.
- Como assim, não fala?
- Ah, dona Samara, a menina nasceu surda. Tá com seis anos e nunca ouviu um som na vida. Nem a voz da própria mãe!
- Como é o nome dela?
- Nádia.
- Que nome bonito! Você sabia que Nádia quer dizer “esperança”?

Sobre a Autora

Giselda Laporta Nicolelis nasceu em São Paulo, 27 de outubro de 1938). Formou-se em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. Publicou sua primeira história em 1972 e o primeiro livro em 1974. Foi então que descobriu seu verdadeiro caminho: a literatura infantil e juvenil, crianças e adolescentes. Hoje sua obra abrange mais de cem títulos, entre livros infantis e juvenis, ficção, poesia e ensaio, publicados por dezenas de editoras, com centenas de edições, e milhões de exemplares vendidos. Exerceu também o jornalismo, em publicação dirigida ao público infantil e juvenil, e trabalhou como coordenadora editorial, em duas coleções juvenis. Sócia-fundadora do Centro de Estudos de Literatura Infantil e Juvenil, cujo acervo se encontra atualmente na Universidade de São Paulo, da União Brasileira de Escritores, do Sindicato de Escritores do Estado de São Paulo e da Clearing House for Women Authors of America. Entre suas obras podemos destacar:

· A esperança de Bob
As Portas do Destino
· A menina que queria ser bruxa
· A toca do Edu e a copa
· O segredo da múmia inca
· Da cor do azeviche
· O milagre de cada dia
· Onde mora o arco-íris

LEIA MAIS

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

FOLHADO DE SALSICHA


Férias escolares: época de ter os pequeninos em casa. 
Que tal dar uma incrementada no lanchinho dos pequenos?
Ideias Barbara´s descobriu essa receita rapidinha e deliciosa.
Confira!

Ingredientes
  • 1 Pacote de salsichas com 10 unidades - As da Sadia são muito boas para esta receita
  • 1 Pacote de massa folhada pronta - Pode ser da Arosa
  • 1 Gema para pincelar
  • Orégano ou manjericão para salpicar

Modo de Fazer

  • Retire a massa folhada do freezer 30 minutos antes de iniciar o preparo. É importante que ela esteja em temperatura ambiente para o preparo da receita.
  • Aqueça o forno a 180 graus.
  • Corte as salsinhas em 3 partes
  • Abra a massa folhada em uma superfície plana.
  • Enrole cada pedaço de salsicha na massa, pressionando bem a emenda.
  • Coloque em uma assadeira grande antiaderente (de preferência de teflon)
  • Pincele com a gema de ovo levemente batida.
  • Salpique com orégano ou manjericão.
  • Leve para assar por uns 30 minutos.
Sirva quente, acompanhado de catchup, mostarda, barbecue ou o molho de sua preferência. 
Bon Appetit!!

LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails