quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Pavê de Panetone


Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado

  • 800 ml. de leite
  • 2 gemas
  • 2 colheres de sopa rasa de amido de milho
  • ½ colher de sopa de essência de baunilha
  • 1 lata de creme de leite
  • 1 panetone picado
  • Calda de abacaxi ou de pêssego para umedecer o panetone


Modo de Fazer

  • Leve o leite condensado, o amido de milho dissolvido no leite e as gemas ao fogo até engrossar. 
  • Retire do fogo, adicione a baunilha e o creme de leite. Misture bem. 
  • Numa taça ou refratário, alterne camadas de creme e panetone umedecido com a calda.

Para uma sobremesa mais rica, faça uma ganache de chocolate e cubra o creme.

Ganache

500 gramas de chocolate meio amargo picado
1 lata de creme de leite.
Coloque o chocolate picado num refratário, junte o creme de leite e derreta em banho-maria ou microondas.
Cubra o pavê com o ganache e decore com raspas de chocolate.
Leve a geladeira por 40 minutos.

LEIA MAIS

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

BOLO DE NATAL


INGREDIENTES

  • 500 gramas de frutas secas picadas (ameixas, cerejas,damascos, uvas-passas)
  • 100 gramas de manteiga (1/2 xícara)

  • 1 xícara de nozes picadas
  • 1 xícara de açúcar mascavo
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 2 colheres de chá de bicarbonato
  • 4 colheres de sopa de chocolate em pó
  • 2 colheres de chá de canela em pó
  • 1 colher de chá de cravo em pó
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 2 ovos
  • 200 g de chocolate branco


PREPARO

  • Leve as frutas picadas ao fogo com 300 ml de água, e deixe ferver por 3 minutos. 
  • Junte a manteiga, as nozes e o açúcar. Misture bem e deixe esfriar. 
  • Acrescente a farinha de trigo peneirada, o bicarbonato, o chocolate em pó, a canela, o cravo em pó e a essência de baunilha.
  • Bata os ovos inteiros na batedeira até dobrar de volume. 
  • Misture aos demais ingredientes até formar uma massa homogênea. 
  • Ponha a massa em 2 formas redondas com furo central( 18cm. de diâmetro) untadas e enfarinhadas.
  • Leve ao forno pré – aquecido, e asse por cerca de 40 minutos ou até que ao espetar um palito, este saia limpo. Retire do forno, deixe esfriar e desenforme.
  • Derreta e tempere o chocolate seguindo as instruções da embalagem. Em seguida cubra os bolos com uma camada do chocolate. Decore com frutas secas (cerejas inteiras, ameixas, damascos).


LEIA MAIS

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Os verdadeiros heróis ainda são massacrados

O post de hoje é um protesto.
Um desabafo de uma brasileira que apesar de tudo ainda acredita que o Brasil tem jeito.
Protesto em favor da verdadeira democracia, da verdadeira liberdade de expressão.
Vou falar de um fato que chegou ao meu conhecimento e me deixou aterrorizada. Mas antes duas perguntas:

Você seria capaz de arriscar sua vida para salvar alguém que não conhece?

Quanto vale a sua vida?

Reflitam bem e ao final do texto entenderão o porquê das perguntas.
Pois bem, todos os dias milhares de bombeiros arriscam suas vidas para salvar estranhos.
Eles entram em casas e prédios em chamas para resgatar pessoas que nunca viram.
Adentram mares revoltos para salvar afogados que lhes são totalmente desconhecidos.
Retiram de ferragens de acidentes gente que nem sabem quem são.
Tudo isso em troca de que?
De um salário mediocre!
Que me desculpem os professores e médicos, mas os profissionais que deveriam receber os melhores salários são os bombeiros. Garanto que muita gente concorda.
Mas vamos juntar mais peças ao quebra-cabeças.
Não é raro vermos reportagens na televisão que relatam a falta de merenda e material em escolas, remédios e materiais de limpeza e manutenção em hospitais, e por aí vai.
Mas alguma vez vc viu uma reportagem falando da falta de material no corpo de bombeiros? Alguma vez a mídia falou que eles muitas vezes trabalham com mangueiras furadas, viaturas que não funcionam, trajes inadequados para o combate ao fogo, instrumentos de resgate obsoletos ou que não recebem manutenção e que, muitas vezes não dispoem nem mesmo de uma luva cirurgica para protegerem-se ao entrarem em contato com o sangue das vítimas?
Com certeza não. Mas todas essas coisas são mais comuns do que imaginamos. Mas ainda assim, eles estão lá. Heróis da vida real.
Bom, vamos viajar um pouquinho no tempo e voltarmos ao ano de 2001.
Neste ano, o Corpo de Bombeiros da Bahia entrou em greve. Isso mesmo, greve!
Mas enganam-se aqueles que pensam que eles reivindicavam apenas melhores salários ou reajustes negados. A principal reivindicação eram por condições dignas de trabalho.
Como brasileira, lembro desse fato e de ter ficado imensamente envergonhada de ter que ver pessoas tão altruístas terem que tomar uma medida tão radical quanto uma paralisação para que fossem ouvidos.
Como sempre, o governo sufocou o movimento, fez as velhas promessas e acabou por aí.
Antes de prosseguir gostaria de esclarecer alguns fatos que muitas pessoas não tem conhecimento: A Bahia é o único Estado do País que não possui uma legislação própria de segurança contra incêndio. Dos 417 municípios baianos, somente Salvador e Feira de Santana possuem legislações municipais com este enfoque. A Bahia também é um dos quatro estados onde o Corpo de Bombeiros é subordinado à estrutura da Polícia Militar. Além disso, uma defasagem no efetivo, de cerca de 12 mil homens, é apontada pela Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra). Junta-se a isso o fato que, sendo uma instituição militar, dispoem de normatização própria e Código de Processo Penal Militar.
O estigma da ditarura ainda corrói as instituições militares até hoje, umas mais, outras menos. No caso do Bombeiro, ainda mais. Explico. Após a greve, iniciou-se uma verdadeira “caça às bruxas”, prisão, exclusão, punição, humilhação de todos aqueles corajosos homens que tiveram a dignidade de mostrar a nós o que passavam em seu cotidiano. Mas a caçada foi na surdina, sem fazer muito alarde, calando a todos que tentavam se manifestar. Vez ou outra chegava até a mídia uma pontinha daquilo que ocorria dentro das paredes dos quartéis de bombeiros da Bahia, mas a repercursão era pequena.
Muitos bombeiros foram indiciados por crime militar, principalmente aqueles que foram apontados como os líderes do movimento. Respondiam aos mais exdrúxulos e estapafurdios processos até este ano. Você deve ter ficado surpreso de saber que apenas até esse ano. Graças ao presidente Lula, em 14 de janeiro deste ano, todos os bombeiros indiciados como líderes dos movimentos foram anistiados. Nada mais justo! Porém enganam-se aqueles que pensam que os pobres deixaram de ser perseguidos. Não, não, não. Continuam sofrendo assédio moral, humilhações e perseguições constantes por parte dos comandantes.
Minha profissão(sou jornalista) me permite conhecer muita gente. E penosamente, admito que conheço alguns desses bombeiros sofredores. Digo sofredores porque ao tentarem melhorar a prestação do serviço à comunidade pagam até hoje um alto preço. Dói na alma olhar nos olhos de um ser humano tamanhamente desprendido de sua própia existência e ver a mácula que este grito de liberdade deixou em seus corações.
Agora pergunto:

Se o presidente, que é a maior autoridade do país, resolveu dar um basta nisso, por que ainda continua a acontecer?

Onde estão os comites de direitos humanos que não vem em socorro deste que são o socorro de toda a população?


Agora vou revelar o que me motivou a redigir este texto.

Relatarei uma história, de um desses bombeiros. Por medida de segurança, o chamaremos de Y.
Y é um dos bombeiros mais altruístas e competentes que já tive a oportunidade de conhecer. Admirado pelos colegas por sua honestidade e bravura, ele foi um dos primeiros a tentar expor ao público em geral as mazelas do cotidiano da profissão. Ele participou da greve, sim. Foi indiciado e passou anos respondendo ao processo militar. Nesse meio tempo, formou-se sargento. Porém como respondia ao processo não pode ser promovido. Passou anos desempenhando uma função que se encontrava até fora dos quadros normais da instituição: cabo, e recebendo como tal, embora fosse diplomado em sargento. Até hoje recebe seus proventos como sendo Cabo. Y foi perseguido por Tenentes, Capitães, Majores, Tenentes-coronéis, Coronéis e pasmem, até pelos próprios colegas Sargentos. Dono de uma personalidade forte e de uma consciência inabalável dos seus direitos, nunca se deixou abater pelas mais vis estratégias de humilhação e perseguição que sofreu e ainda sofre. É tido em seu batalhão como a erva daninha da corporção, ao invés de ser visto como o libertador, a única gota de sanidade e pureza d'alma de todo um pelotão.
Até hoje ele sofre e se continuarmos calados ele vai continuar a sofrer. Sofrer por não ter a quem recorrer, sofrer por ter tido a coragem de dizer a verdade, sofrer por todos os dias ter que defender sua honra para continuar a nos salvar.
Se você conhece algum advogado especializado na área militar ou alguém que queira ajudar Y por favor entre em contato conosco através de nosso e-mail: ideiasdebarbara@hotmail.com
Passem essa mensagem adiante!
Façamos nosso papel de brasileiros, de cidadãos!



"O que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesmo." Clarice Lispector







p.s. As imagens que acompanham este texto são meramente ilustrativas.

LEIA MAIS

sábado, 9 de outubro de 2010

Se sua vida fosse um filme, qual seria?

Uma pergunta que parece fácil mas, na verdade é bem complicada.

Se você é do tipo dramático que pensa ou acha que a vida só te traz desabores, sofre que nem uma condenada, mas vê saídas e coisas boas em tudo, então com certeza o primeiro filme que passou por sua cabeça foi Forrest Gump. Desde que assiti à odisséia da vida de Forrest, me lembro da frase; “A vida é como uma caixa de chocolates: você nunca sabe o que vai encontrar lá dentro.” e apesar de ter adotado esta máxima como lema, minha vida não é Forrest Gump, nem um pouquinho.

Bom, agora se vc é do tipo sonhadora, que anda nas nuvens e não encherga a maldade ao redor, talvez o seu filme seja Legalmente Loira. Quando vi Reese Whitherspoon atuando no primeiro filme, pensei logo na máxima popularmente explorada da Loira Burra. Mas o contexto e o enredo mostram que o filme é mais do que uma crítica a um estereotipo, ele passa ideia de que sonhar vale a pena. Bom, concluí isso, mas não sou loira.

Agora, se vc é do tipo vamos curtir, e que o mundo se acabe(mas desde que você esteja com seus amigos), seu filme com toda certeza é Se beber não case. Só de pensar nele já dou risada sozinha. Loucura, loucura, loucura. Uma atrapalhada atrás da outra, mas sempre tento em vista o mesmo horizonte: a amizade, ou melhor, o valor da amizade.

Se seu caso é o mesmo da Baby Cascuda de Garota Fantástica, talvez seja a hora de rever suas crenças familares, reorganizar seus planos, repensar suas prioridades, tentando entender até que ponto são realmente suas.

E se você é uma Scarlet, cuidado, seu tiro pode sair pela culatra, e o vento realmente o levar. Afinal, mesmo não tento uma nomenclatura tão velha quanto a guerra civil norte-americana, a Lei de Gerson sempre existiu. O que mudou de lá para cá foram apenas as técnicas empregadas para sempre se dar bem. Rett Butler que o diga.

Mas se você é daquele tipo que vive e acredita em um grande amor, sua vida é o verdadeiro Diário de uma paixão. Então não fique parada esperando que o seu Noah faça tudo. Arregasse as mangas e mãos à obra, afinal amor é uma construção, feito a quatro mãos, de preferência dadas, até debaixo dos lençóis.

Seu caso é de carência e decepção amorosa? Então para você vale a lição de (500) dias com ela. Mas veja bem, não é que você tenha que ser como o carinha do filme. A grande cartada é conseguir alcançar o entendimento, a compreensão do sentimento, do equilibrio emocional.

Revirar o passado é o seu forte? Na, na, ni, na, não. Stop! Se sua vida é Em algum lugar do passado, vamos mudar este filme. Afinal que vive de passado é museu. E como disse o fantástico William Shakespeare:"Lamentar uma dor passada no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.” Vamos por um ponto final nisso!

Se você ainda nem sabe quem é, ou pensa que sabe, sua vida está para O mundo imaginário do Dr. Parnassus. Então, mesmo que você não tenha um lindo guia como Heath Ledge, Johnny Depp ou Jude Law, enverede-se pelos caminhos da sua alma, percorrendo as estradas do seu coração e perceba como suas escolhas podem mudar o rumo da sua vida.

Ah, já vi tudo. Você é uma daquelas executivas totalmente workaholic. Diane Keaton perde para você? Então talvez tenha chegado a hora de receber também um Presente de Grego. Ah, só não vale contratar uma babá full time e continuar sua louca jornada.

Porém, se na realidade sua vida financeira está meio atrapalhada, te fazendo até ter Os delirios de consumo de Becky Bloom, com certeza está na hora de prender a consumista que existe em você. Becky pode até te ajudar. Como? Bom, talvez você não consiga ser uma jornalista financeira mas com certeza pode controlar seus gastos, sem ter que inventar estratégias estapafurdias para isso.

Ai, ai, ai. Nada de ser meio tapadinha como a Gisele. Acorda menina! Esse negócio de Encantada, é só para a Disney. Abre o olho! Se o amor da sua vida está na sua cara, jogue a maçã no lixo e corra para o abraço. Ficar esperando um Eduard? Na, na, ni, na, NÃO!

Cansada de ser sempre a boazinha da parada? Calma, calma. Não se desespere. Afinal, ter Um dia de fúria e dar uma de Michael Douglas atirando em todo mundo não é a melhor opção. Mesmo que alguém pareça merecer ser abatido a tiros! (especialmente maridos e namorados infiéis , chefes malas, piriguetes, caloteiros, vendedores de telmarketing inoportunos, políticos corruptos...)

Você é considerada ovelha negra quando na verdade é apenas uma pessoa que se coloca abertamente contra as convenções sociais, contra o sistema? Então sua vida é completamente Chocolate. É realmente muito complicado, em qualquer época, agir como a Vianne Rocher do filme. Mas se for este o seu caso, parabéns pela coragem e determinação, por querer continuar a ser uma pessoa correta em meio de muitas corrompidas, que posam de santinhas. Como disse Vianne:

"Não podemos medir nossa bondade pelo que não fazemos.
Pelo que negamos, o que resistimos e a quem excluímos.
Acho que nossa bondade é medida por aquilo que aceitamos, pelo que criamos, e por quem incluímos."

Depois dessa lista, você com certeza deve ter se encontrado. Afinal, a ficção imita a vida. Ou será o contrário?

Você é quem sabe...


LEIA MAIS

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Uma ditadora chamada Barbie




Seios fartos, cintura fina, silhueta delgada, estatura alta. Eu poderia estar falando de qualquer Gisele Bündchen. Mas a nossa ditadora tem apenas 29,2 cm de altura.
Quando criou a Barbie em 1959, Ruth Handler, não poderia ter imaginado como um simples brinquedo poderia servir de padrão de beleza para milhões de pessoas.
Vendida pela primeira vez, em Nova York, a boneca, com um corpo de formas perfeitas, se tornou um sucesso imediato, vendendo mais de um bilhão de exemplares, em mais de 150 países, segundo a agência de notícias Associated Press.
A cada segundo, duas bonecas Barbie são vendidas em algum lugar do mundo.
Bom, se você até aqui pensou que eu escreveria uma biografia da Barbie, se enganou redondamente.
Este post é sobre um assunto um tanto quanto mais abrangente: a moda.
Cesar Millan

Já escrevi muitos posts sobre beleza, mas este terá uma conotação diferenciada. O que é pretendido, é elucidar porque milhões de pessoas espelham-se em ícones da beleza.
Os argumentos mais elementares são os estéticos. 

O visual sempre nos atraí. 
O belo seduz. 
Talvez porque ao nascermos, nos deparamos com tal diversidade de coisas que, só através de uma seleção conceitual nos tornamos capazes de nos centrar em “alguns” aspectos da vida. 
Como disse Cesar Millan: 


“Somos primeiro audição, depois visão, para em seguida ser olfato. Ao contrário dos cães que são primeiro olfato, depois audição e em seguida visão.”

Todos os dias somos expostos a milhares de estímulos visuais. A visão é o principal sentido explorado em qualquer peça publicitária. Não a toa, pois foi socialmente convencionada como o mais importante deles.
Sempre me intrigou a mágica por trás da construção dos referenciais de beleza.
Leigamente falando, minha ideia original era que alguém lançava uma moda por ser admirado. 



Por exemplo, digamos que em algum período remoto da nossa história, todos usavam capacetes com penas vermelhas porque um valente guerreiro usava. Então a ideia seria mostrar que ao usar o capacete, um homem comum poderia ser nobre, corajoso ou audacioso, como o próprio guerreiro. Mas toda essa concepção é bem elementar.


Na idade média, os muito ricos vestiam seda e enfeitavam suas roupas com peles valiosas. A maioria das pessoas vestiam roupas de lã e linho. Já as pessoas mais humildes vestiam-se com roupas feitas de pele de cabra carneiro ou lobo. A roupa era objeto de segregação e demonstração de poder.
A grande "sacação" foi de quem percebeu que poderia manipular isso visando objetivos bem específicos. 
Surgi então o reino da moda, onde quem deseja ser súdito tem que seguir religiosamente uma alucinada cartilha.
O resultado disso?
Hoje as saias são de cintura alta, amanhã você pode jogar todas elas na gaveta de roupas velhas, pois não servem mais, foram substituídas pelas saias midi.
Gisele Bündchen
Se a cor do momento for roxo, você vai a um evento e conta nos dedos as beldades que não estiverem vestidas de roxo.
São verdadeiros exércitos realizando o que poderíamos chamar de “Ordem Unida” da moda. 
Então torna-se natural que uma adolescente, em plena ebulição hormonal, queira ser a próxima Gisele. 
Não deveria.
Mas diante da massificação de esteriótipos, fica extremamente complicado ir contra os padrões estabelecidos.
Há algum tempo, assisti ao Miss Universo (Eu tinha que falar disso!). 
Incrédula, vi dezenas de moças belíssimas serem desclassificadas por um juri composto por atores, esportistas, músicos e até ilusionista! (Nada contra Criss Angel). Sem desmerecer a composição da mesa, questiono as qualificações de tais pessoas para escolherem a mais bela dentre as 82 candidatas. Não vi um mísero editor de moda dentre tão seleto grupo. Esse é um detalhe importante, que não deveria passar despercebido aos olhos mais atentos. Essa ausência é a maior evidência para a verdadeira resposta à questão: A Miss Universo dita ou inspira algum padrão de beleza no mundo da moda?
Não. Não. Não.
Bobagem....
Sabe por quê?
Miss Universo

Porque os valores foram subvertidos. 
Antes as misses eram o padrão supremo de beleza, ícones de uma pureza casta. Mas como moda e castidade nunca foram boas parceiras, as misses foram perdendo seu brilho. 
Hoje nada mais são do que uma cópia das top models renomadas da atualidade, não medindo esforços, nem cirurgias plásticas, botox ou bioplastia para isso.
Então não preciso dizer que quem realmente dita padrões de beleza são os mega empresários do setor, a indústria cinematográfica,  o capitalismo.
O mesmo capitalismo que vulgariza cada vez mais a imagem feminina, desconstruindo a verdadeira essência de ser mulher.
Voltando a nossa Barbie.
Que ícone representaria melhor a massificação alienante da beleza do que a boneca mais vendida no mundo?
O brinquedo que esconde por trás de um simpático sorriso a ilusão de que para ser bela, é preciso estar na moda.
Falando em Barbie, não resisti à tentação de compartilhar com vocês uma piada sobre ela:

O sujeito lembra-se que é aniversário de sua filha e que ainda
não havia comprado seu presente. 
Ele vai até uma loja de brinquedos, entra e pergunta a vendedora:

- Quanto custa a Barbie que está na vitrine ?
De uma forma educada a vendedora responde: 
- Qual Barbie? Pois temos: 
Barbie vai a academia por R$ 19,95 
Barbie joga volley por R$ 19,95 
Barbie vai as compras por R$ 19,95 
Barbie vai a praia por R$ 19,95 
Barbie vai dançar por R$ 19,95 
Barbie advogada divorciada por R$ 265,95. 
O cara, assombrado, pergunta: 
- Por que a Barbie advogada divorciada custa R$ 265,95, enquanto as outras custam apenas R$ 19,95? 
A vendedora responde:
- Senhor, a Barbie ADVOGADA DIVORCIADA vem com: 
O carro do Ken, a casa do Ken, a Lancha do Ken, o trailler do Ken, os moveis do Ken, o celular do Ken...


LEIA MAIS

domingo, 22 de agosto de 2010

Inscrições abertas até 15/09 para o prêmio de incentivo ao uso racional de medicamentos

Pesquisadores, estudantes e profissionais de saúde e de outras áreas podem concorrer a prêmio de até R$ 55 mil com trabalhos voltados ao uso racional de medicamentos – ou seja, prover o produto correto, ao menor custo, apropriado às condições clínicas do paciente, com dose e tempo de uso adequados. Os recursos estão previstos na segunda edição do Prêmio Nacional de Incentivo à Promoção do Uso Racional de Medicamentos. Criada pelo Ministério da Saúde, por meio do Comitê Nacional para Promoção do Uso Racional de Medicamentos, a iniciativa quer estimular o desenvolvimento de alternativas que possam ser aplicadas na rede pública e demais serviços de saúde. As inscrições seguem abertas até 15 de setembro e podem ser feitas pelo site www.saude.gov.br/premio

O prêmio é organizado em seis categorias diferentes. Profissionais de saúde, de outras áreas e gestores podem inscrever experiências bem-sucedidas desenvolvidas no local de trabalho. São quatro categorias acadêmicas, divididas em: tese de doutorado; dissertação de mestrado; monografia de especialização ou residência; e de graduação. A sexta categoria se refere a trabalhos feitos por instituições, meios de comunicação ou da área cultural.

PESQUISA E PRÁTICA - Entre os critérios analisados na concorrência, destaca-se a possibilidade de as iniciativas contribuírem com o Sistema Único de Saúde. A previsão é que a lista dos finalistas saia em outubro. “Fala-se muito em automedicação ou mesmo em banalização do uso de medicamentos no Brasil, contudo há pouca investigação científica sobre o assunto. Essa é uma área muito nova, e o prêmio vem exatamente incentivar a abordagem do tema, não só acadêmica, como também dentro da rede de saúde”, afirma o diretor de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde, José Miguel do Nascimento Júnior. 

Na primeira edição do prêmio, em 2009, um dos vencedores, a Secretaria Municipal de Saúde de Ibiraçu, no Espírito Santo, apresentou o projeto Saúde da Gente, com ações para orientar a população, principalmente idosos, sobre o uso correto de medicamentos. Em palestras e visitas domiciliares, profissionais de saúde e agentes comunitários de Saúde da Família esclarecem dúvidas sobre práticas comuns da população, como dissolver comprimidos, guardar remédios na geladeira ou tomar duas doses quando um dos horários é esquecido.INICIATIVAS - Na categoria dissertação de mestrado, o vencedor do ano passado foi Camilo Guidoni, que realizou um estudo sobre o uso de medicamentos para diabetes na rede pública de Ribeirão Preto, em São Paulo. O trabalho foi concluído na Universidade de São Paulo e apontou que 96,5% dos pacientes com diabetes utilizam remédios orais e insulina dentro do intervalo terapêutico recomendado pelo Ministério da Saúde e por diretrizes internacionais. A pesquisa mostrou ainda que 70% deles pegam o medicamento nas Unidades Básicas de Saúde.

Além do prêmio, o Ministério da Saúde desenvolve outras ações com o objetivo de promover o uso racional de medicamentos. Entre elas, destaca-se a capacitação de gestores e profissionais de saúde em assistência farmacêutica. Já foram realizados 10 cursos de pós-graduação nessa área, além de turmas a distância. Essas atividades são coordenadas pelo Comitê Nacional para Promoção do Uso Racional de Medicamentos.Categorias e prêmios 1) Experiência bem sucedida de profissionais nos serviços de saúde: R$ 15.000,00 2) Tese de doutorado: R$ 12.000,00 3) Dissertação de mestrado: R$ 10.000,00 4) Monografia de especialização e/ou residência: R$ 8.000,00 5) Trabalho em nível de graduação: R$ 5.000,006) Trabalho desenvolvido em: entidades/instituições; meios de comunicação; e no âmbito da cultura: R$ 5.000,00.
LEIA MAIS
Related Posts with Thumbnails